acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Balanço

Prumo Logística encerra 2017 com EBITDA pro-forma de R$ 194 milhões

22/03/2018 | 11h05

A Prumo Logística divulgou o resultado de 2017, com EBITDA pro-forma consolidado positivo de R$ 194 milhões. O dado consta do relatório de resultados, divulgado hoje pela companhia.

O EBITDA pro-forma consolidado considera as operações da Ferroport e BP Prumo como Joint Operation, ou seja, as operações são consolidadas proporcionalmente, enquanto que nas demonstrações financeiras estas subsidiárias são contabilizadas como Joint Venture, portanto classificadas como equivalência patrimonial.

O relatório também informa que foram investidos R$ 505 milhões em 2017. O montante foi aplicado pelas subsidiárias Porto do Açu, Açu Petróleo (parceria entre a Prumo e a Oiltanking, e que é responsável pela operação do terminal de petróleo) e a Ferroport (parceria entre a Prumo e a Anglo American, e responsável pelo Terminal de Minério de Ferro).

O resultado também contou com receita líquida de R$ 232 milhões, um aumento de R$ 89 milhões em relação ao ano anterior (contabilizando todas as subsidiárias da companhia). O acréscimo refere-se, principalmente, ao aumento de serviços portuários e de transporte oferecidos no Terminal Multicargas.

O resultado financeiro consolidado foi negativo em R$ 458,9 milhões, com as despesas financeiras compostas principalmente de juros, variação monetária e corretagens e as receitas financeiras compostas principalmente de juros e variação cambial.

O prejuízo líquido no ano foi de R$ 989,1 milhões.

Destaques

Entre os destaques do ano de 2017 está a assinatura do decreto para criação da Zona de Processamento de Exportação do Açu, assinado durante visita do presidente Michel Temer ao Porto. Localizada no Distrito Industrial de São João da Barra, a ZPE conta com área de 2 km², está a 10 km do Terminal Multicargas (T-MULT) e contará com infraestrutura viária terrestre para o transporte de diferentes tipos e tamanhos de cargas. A expectativa é de que a ZPE do Açu gere investimentos aproximados de R$ 40 milhões em infraestrutura local somente na sua primeira etapa de implantação.

A GNA, subsidiária da Prumo, recebeu em dezembro aprovação da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL para a transferência da Termelétrica Novo Tempo para a empresa UTE GNA I Geração de Energia S.A., subsidiária da GNA. A ANEEL aprovou, ainda, a transferência, para a UTE GNA I, dos 37 Contratos de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado (CCEAR’s) anteriormente celebrados entre a UTE Novo Tempo e as companhias distribuidoras de energia. Também em dezembro, a GNA foi uma das vencedoras do Leilão de Energia Nova A-6 2017 para a construção e operação de uma usina termelétrica a gás natural no Porto do Açu.

Com isso, o Porto do Açu contará com 2 termelétricas em operação, que totalizarão 2.911 MW de capacidade instalada, tornando-se o maior parque termelétrico da América Latina. Para se ter uma ideia, as duas térmicas produzirão energia suficiente para abastecer 1,8 milhão de residências, ou o equivalente a 4,7% da demanda do Brasil.

A instalação das termelétricas e do terminal de regaseificação, é parte do Açu Gás Hub, que será desenvolvido no Complexo. O Hub é uma solução privada para escoamento, processamento e monetização de gás natural dos campos produtores das bacias de Campos e Santos, contribuindo para o escoamento do gás associado de forma competitiva.

A previsão é que, nos próximos 5 anos, sejam investidos R$ 7 bilhões no desenvolvimento do hub de gas.

Além disso, a Açu Petróleo realizou a dragagem do seu terminal, ampliando a profundidade para 25 metros. Com isso, o Terminal de Petróleo passou a ser o único terminal privado no Brasil com capacidade para receber navios VLCCs (Very Large Cruise Carrier), que são os maiores navios de petróleo do mundo.

O Porto do Açu também assinou contrato com a Petrobras Distribuidora (BR) para fornecimento de combustível para veículos e equipamentos, por meio da instalação e operação de um ponto de abastecimento no Complexo Portuário. A empresa também irá prestar serviços para a operação de um terminal de triagem de caminhões que acessam o empreendimento.

 

 

 

A área destinada ao ponto de abastecimento, de aproximadamente 5 mil m², contará com estrutura de tanques para fornecimento de combustível, com venda direta para as empresas instaladas no Complexo Portuário. O terminal de triagem de caminhões terá área inicial de 15 mil m², com 80 vagas para caminhões, prédio administrativo e área de conveniência para os caminhoneiros.

 

 

 

Outro destaque foi a assinatura de contrato com a Petrogral, que desde o final de novembro realiza operações ship to ship no Terminal de Petróleo do Porto do Açu.

 

 



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar