acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Protesto de professores atinge produção de petróleo argentino

03/06/2011 | 10h08
Ruas bloqueadas por professores argentinos estão causando problemas na produção de petróleo nas reservas na Patagônia operadas pela argentina YPF, disseram fontes da indústria nesta quinta-feira.


Professores estão em greve há 40 dias na província sulista de Santa Cruz, que é responsável por um quinto da produção de petróleo na Argentina, bloqueando o acesso para as estradas que levam aos campos de exploração e impactando a produção.


Os protestos aumentaram nesta semana, segundo a mídia local e fontes.


"Há algumas operações limitadas. Tudo foi bloqueado pelos professores e pelos pais. Há bloqueios em todas as estradas, (então) não está fácil chegar aos campos de petróleo. É uma situação caótica", disse uma fonte da indústria à Reuters sob a condição de anonimato.


"As coisas começaram a ficar delicadas ontem (quarta-feira), mas hoje todos os campos foram afetados. Nós devemos estar produzindo cerca de 20 a 30 por cento (dos níveis normais)", acrescentou.


Uma fonte na YPF, maior produtor energético da Argentina e a unidade local da espanhola Repsol, disse que os funcionários tiveram dificuldades para chegar ao trabalho.


Ninguém do sindicato dos professores foi encontrado para comentar o tema. Os grevistas exigem aumentos salariais de 50 por cento.
 


Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar