acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pré-Sal

Produção já ultrapassa 500 mil barris

01/07/2014 | 16h50
Produção já ultrapassa 500 mil barris
Agência Petrobras Agência Petrobras

 

A produção de petróleo nos campos operados pela Petrobras na chamada província do pré-sal nas bacias de Santos e de Campos superou a marca dos 500 mil barris de petróleo por dia (bpd) - atingindo 520 mil bpd no dia 24 de junho - o que configura novo recorde de produção diária. Desse volume, 78% (406 mil bpd) correspondem à parcela da Petrobras e o restante, à contribuição das empresas parceiras da companhia nas diversas áreas de produção da camada pré-sal.
Segundo o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, José Formigli, atualmente existem 25 poços em operação no pré-sal, sendo dez na Bacia de Santos - o que corresponde por 53% da produção, ou 274 mil barris por dia - e os outros 15 poços na Bacia de Campos - 47% da produção, ou 246 mil barris por dia.
"Nós petroleiros temos que comemorar essa marca expressiva em um intervalo de tempo bastante curto", afirmou Formigli durante o evento no Rio de Janeiro. Ele explicou que hoje o pré-sal possui dez unidades, nove plataformas de produção nas suas locações definitivas e uma plataforma intinerante fazendo Testes de Longa Duração (TLD). "Tivemos uma evolução onde passamos pelos 100 mil barris, e chegamos hoje a 500 mil barris de petróleo por dia. Certamente não vamos parar por aí porque temos mais poços a serem interligados nas plataformas existentes, além de novas plataformas que entrarão em operação no futuro", afirmou Formigli. Segundo ele, hoje (1º), a companhia fechará o dia com 515 mil barris produzidos.
Na ocasião, o diretor lembrou que a companhia levou 31 anos para produzir os primeiros 500 mil barris. "Na Bacia de Campos levamos 21 anos para atingir esse volume de produção, e, finalmente no pré-sal, com tecnologia, conhecimento acumulado e punjança dos reservatórios, conseguimos essa realização em oito anos".
Quando comparada com as principais regiões petrolíferas do mundo, essa marca se mostra ainda mais importante. O Golfo do México levou 20 anos para atingir os 500 mil barris, e o Mar do Norte dez anos.
Segundo Formigli, o pré-sal terá ainda 24 plataformas para entrar em operação até 2020.
Pré-sal representa 22% da produção da Petrobras
Formigli lembrou que no ano passado, o pré-sal representou 7% do total produzido pela companhia. Hoje representa entre 20 e 22%. "Quando olhamos para o futuro, vemos essa produção alcançar 52% e em 2020 53% dos nossos 4,2 milhões de barris de óleo, mais um milhão de barris de óleo equivalente", esclareceu o diretor.
O evento que marcou a nova marca da Petrobras também reuniu a presidente da República, Dilma Rousseff; a presidente da Petrobras, Graça Foster; o Ministro de Minas e Energia, Edson Lobão; o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, entre outras autoridades.

A produção de petróleo nos campos operados pela Petrobras na chamada província do pré-sal nas bacias de Santos e de Campos superou a marca dos 500 mil barris de petróleo por dia (bpd) - atingindo 520 mil bpd no dia 24 de junho - o que configura novo recorde de produção diária. Desse volume, 78% (406 mil bpd) correspondem à parcela da Petrobras e o restante, à contribuição das empresas parceiras da companhia nas diversas áreas de produção da camada pré-sal.
Segundo o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, José Formigli, atualmente existem 25 poços em operação no pré-sal, sendo dez na Bacia de Santos - o que corresponde por 53% da produção, ou 274 mil barris por dia - e os outros 15 poços na Bacia de Campos - 47% da produção, ou 246 mil barris por dia.

"Nós petroleiros temos que comemorar essa marca expressiva em um intervalo de tempo bastante curto", afirmou Formigli durante o evento no Rio de Janeiro. Ele explicou que hoje o pré-sal possui dez unidades, nove plataformas de produção nas suas locações definitivas e uma plataforma intinerante fazendo Testes de Longa Duração (TLD). "Tivemos uma evolução onde passamos pelos 100 mil barris, e chegamos hoje a 500 mil barris de petróleo por dia. Certamente não vamos parar por aí porque temos mais poços a serem interligados nas plataformas existentes, além de novas plataformas que entrarão em operação no futuro", afirmou Formigli. Segundo ele, hoje (1º), a companhia fechará o dia com 515 mil barris produzidos.

Na ocasião, o diretor lembrou que a companhia levou 31 anos para produzir os primeiros 500 mil barris. "Na Bacia de Campos levamos 21 anos para atingir esse volume de produção, e, finalmente no pré-sal, com tecnologia, conhecimento acumulado e punjança dos reservatórios, conseguimos essa realização em oito anos".

Quando comparada com as principais regiões petrolíferas do mundo, essa marca se mostra ainda mais importante. O Golfo do México levou 20 anos para atingir os 500 mil barris, e o Mar do Norte dez anos.

Segundo Formigli, o pré-sal terá ainda 24 plataformas para entrar em operação até 2020.


Pré-sal representa 22% da produção da Petrobras

Formigli lembrou que no ano passado, o pré-sal representou 7% do total produzido pela companhia. Hoje representa entre 20 e 22%. "Quando olhamos para o futuro, vemos essa produção alcançar 52% e em 2020 53% dos nossos 4,2 milhões de barris de óleo, mais um milhão de barris de óleo equivalente", esclareceu o diretor.

O evento que marcou a nova marca da Petrobras também reuniu a presidente da República, Dilma Rousseff; a presidente da Petrobras, Graça Foster; o Ministro de Minas e Energia, Edson Lobão; o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, entre outras autoridades.

 



Fonte: Revista TN Petróleo
Autor: Karolyna Gomes
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar