acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indicadores

Produção industrial cai 2,5 pontos em fevereiro

28/03/2013 | 14h08

 

A produção industrial brasileira caiu 2,5 pontos em fevereiro e fecha o mês em 46,1, ante os 48,6 pontos de janeiro. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem e, abaixo de 50, indicam variação negativa.
Apesar do recuo, a pesquisa mostrou que os estoques se mantiveram em nível próximo ao planejado e “as expectativas para os próximos seis meses se tornaram mais otimistas em março no tocante à demanda, compras de matérias-primas e, sobretudo, quantidade exportada”. O indicador de demanda aumentou de 59,8 pontos para 60,7 pontos em relação à sondagem feita em fevereiro.
No mês, a capacidade instalada ficou em 70%, um ponto percentual abaixo da registrada no mesmo período de 2012. Os números fazem parte da Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira (28) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que ouviu, entre os dias 1º e 13 deste mês, 1.818 empresas: 664 pequenas, 694 médias e 460 grandes.
A expectativa de exportação passou de 53,9 para 54,6 pontos, o maior valor desde julho de 2012. Em nota, o gerente executivo da Unidade de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, disse que "apesar do fraco desempenho de fevereiro na comparação com janeiro, o destaque é o otimismo [com as] exportações para os próximos seis meses, que indica retomada das [vendas] de manufaturados, o que seria um estímulo adicional e importante para a recuperação da indústria no primeiro semestre do ano".
No que diz respeito ao nível de emprego, o índice passou de 48,7 para 49,8 pontos. Apesar da expectativa de emprego ter apresentado uma pequena queda de 53,5 pontos para 53,3 pontos, a pesquisa mostrou estabilidade no otimismo do setor.

A produção industrial brasileira caiu 2,5 pontos em fevereiro e fecha o mês em 46,1, ante os 48,6 pontos de janeiro. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem e, abaixo de 50, indicam variação negativa.


Apesar do recuo, a pesquisa mostrou que os estoques se mantiveram em nível próximo ao planejado e “as expectativas para os próximos seis meses se tornaram mais otimistas em março no tocante à demanda, compras de matérias-primas e, sobretudo, quantidade exportada”. O indicador de demanda aumentou de 59,8 pontos para 60,7 pontos em relação à sondagem feita em fevereiro.


No mês, a capacidade instalada ficou em 70%, um ponto percentual abaixo da registrada no mesmo período de 2012. Os números fazem parte da Sondagem Industrial, divulgada nesta quinta-feira (28) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que ouviu, entre os dias 1º e 13 deste mês, 1.818 empresas: 664 pequenas, 694 médias e 460 grandes.


A expectativa de exportação passou de 53,9 para 54,6 pontos, o maior valor desde julho de 2012. Em nota, o gerente executivo da Unidade de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca, disse que "apesar do fraco desempenho de fevereiro na comparação com janeiro, o destaque é o otimismo [com as] exportações para os próximos seis meses, que indica retomada das [vendas] de manufaturados, o que seria um estímulo adicional e importante para a recuperação da indústria no primeiro semestre do ano".


No que diz respeito ao nível de emprego, o índice passou de 48,7 para 49,8 pontos. Apesar da expectativa de emprego ter apresentado uma pequena queda de 53,5 pontos para 53,3 pontos, a pesquisa mostrou estabilidade no otimismo do setor.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar