acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Produção industrial avança em nove estados

09/10/2012 | 09h54
Produção industrial avança em nove estados
Instituto Aço Brasil Instituto Aço Brasil

 

Na passagem de julho para agosto de 2012, os índices regionais da produção industrial mostraram taxas positivas em nove dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acompanhando o aumento no ritmo da produção nacional, na série ajustada sazonalmente. Goiás, com crescimento de 10,3%, apontou o avanço mais acentuado, compensando parte da queda de 13,3% verificada em julho.
Os demais locais que registraram expansão na produção acima da média nacional (1,5%) foram: Amazonas (7,6%), que eliminou o recuo de 5,5% verificado em julho último; Rio Grande do Sul (4,8%), Minas Gerais (3,3%), Paraná (3,0%) e São Paulo (2,7%), enquanto Rio de Janeiro (0,6%), Santa Catarina (0,5%) e Bahia (0,1%) completaram o conjunto de locais com taxas positivas.
Por outro lado, Espírito Santo (-2,4%) e Ceará (-1,5%) registraram as quedas mais intensas, enquanto Pará e Pernambuco, ambos com -0,7%, mostraram recuos mais moderados. A região Nordeste (0,0%) repetiu o patamar do mês anterior, após dois meses seguidos de expansão na produção.
Comparação com 2011
Em relação a agosto de 2011, cuja média média nacional ficara em -2,0%, a produção industrial caiu em nove dos 14 locais, com destaque para Paraná (-10,8%) e Espírito Santo (-7,5%), "pressionados em grande parte pelo comportamento negativo na produção de livros e de caminhões, no primeiro local, e dos setores de metalurgia básica e extrativo, no segundo".
Também houve quedas na atividade fabril do Pará (-5,7%), do Rio de Janeiro (-5,6%), de São Paulo (-4,6%), do Amazonas (-4,6%), do Ceará (-2,2%), de Santa Catarina (-2,2%) e do Rio Grande do Sul (-1,5%).
Já Minas Gerais (4,6%), Goiás (3,7%), Bahia (3,4%), região Nordeste (1,7%) e Pernambuco (1,5%) tiveram resultados positivos.
De janeiro a agosto
No ano, de janeiro a agosto, a queda na produção foi registrada em 9 locais, com destaque para Amazonas (-7,2%), Rio de Janeiro (-6,5%), Espírito Santo (-6,2%) e São Paulo (-5,6%), com recuos acima da média nacional (-3,4%). Goiás (5,3%), Pernambuco (3,8%), Bahia (3,1%), região Nordeste (2,2%) e Paraná (0,2%) tiveram resultados positivos.
Em 1 ano
No índice acumulado em 12 meses, 8 dos 14 locais tiveram queda na produção, com destaque para as perdas do Rio de Janeiro (-4,9%), São Paulo (-4,8%), Santa Catarina (-4,2%), Ceará (-3,6%) e Espírito Santo (-3,5%). Tiveram aumento na atividade fabril, por outro lado, Goiás (7,0%), Paraná (3,9%) e Pernambuco (3,8%).

Na passagem de julho para agosto de 2012, os índices regionais da produção industrial mostraram taxas positivas em nove dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acompanhando o aumento no ritmo da produção nacional, na série ajustada sazonalmente. Goiás, com crescimento de 10,3%, apontou o avanço mais acentuado, compensando parte da queda de 13,3% verificada em julho.


Os demais locais que registraram expansão na produção acima da média nacional (1,5%) foram: Amazonas (7,6%), que eliminou o recuo de 5,5% verificado em julho último; Rio Grande do Sul (4,8%), Minas Gerais (3,3%), Paraná (3,0%) e São Paulo (2,7%), enquanto Rio de Janeiro (0,6%), Santa Catarina (0,5%) e Bahia (0,1%) completaram o conjunto de locais com taxas positivas.


Por outro lado, Espírito Santo (-2,4%) e Ceará (-1,5%) registraram as quedas mais intensas, enquanto Pará e Pernambuco, ambos com -0,7%, mostraram recuos mais moderados. A região Nordeste (0,0%) repetiu o patamar do mês anterior, após dois meses seguidos de expansão na produção.



Comparação com 2011


Em relação a agosto de 2011, cuja média média nacional ficara em -2,0%, a produção industrial caiu em nove dos 14 locais, com destaque para Paraná (-10,8%) e Espírito Santo (-7,5%), "pressionados em grande parte pelo comportamento negativo na produção de livros e de caminhões, no primeiro local, e dos setores de metalurgia básica e extrativo, no segundo".


Também houve quedas na atividade fabril do Pará (-5,7%), do Rio de Janeiro (-5,6%), de São Paulo (-4,6%), do Amazonas (-4,6%), do Ceará (-2,2%), de Santa Catarina (-2,2%) e do Rio Grande do Sul (-1,5%).Já Minas Gerais (4,6%), Goiás (3,7%), Bahia (3,4%), região Nordeste (1,7%) e Pernambuco (1,5%) tiveram resultados positivos.



De janeiro a agosto


No ano, de janeiro a agosto, a queda na produção foi registrada em 9 locais, com destaque para Amazonas (-7,2%), Rio de Janeiro (-6,5%), Espírito Santo (-6,2%) e São Paulo (-5,6%), com recuos acima da média nacional (-3,4%). Goiás (5,3%), Pernambuco (3,8%), Bahia (3,1%), região Nordeste (2,2%) e Paraná (0,2%) tiveram resultados positivos.



Em 1 ano


No índice acumulado em 12 meses, 8 dos 14 locais tiveram queda na produção, com destaque para as perdas do Rio de Janeiro (-4,9%), São Paulo (-4,8%), Santa Catarina (-4,2%), Ceará (-3,6%) e Espírito Santo (-3,5%). Tiveram aumento na atividade fabril, por outro lado, Goiás (7,0%), Paraná (3,9%) e Pernambuco (3,8%).



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar