acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Produção de petróleo diminui no primeiro trimestre

13/05/2004 | 00h00
A produção de petróleo e GNL (gás natural liqüefeito) da Petrobras caiu 2% nos três primeiros meses deste ano em relação trimestre imediatamente anterior. O desempenho foi afetado principalmente pela queda de 3% da produção no mercado interno, por conta das paralisações das operações em alguns dos principais campos da empresa na Bacia de Campos. O resultado só não foi pior em virtude do desempenho da companhia no exterior, que aumentou 1% no mesmo período.
O diretor da Área Financeira da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, afirmou, no entanto, que a entrada em produção de novas plataformas de produção entre o segundo semestre deste ano e o fim de 2005 elevará a produção média da empresa, no próximo ano, a um patamar diário de 1,8 milhão de barris. Está prevista a entrada em operação, em junho deste ano, da FPSO de Marlim Sul, que deverá agregar uma capacidade de 100 mil barris por dia.
Também neste ano entrarão em operação na Bacia de Campos as plataformas P-43, no campo de Barracuda, e P-48, em Caratinga - respectivamente em outubro e dezembro -, que terão capacidade de produzir, juntas, 300 mil barris por dia. Já no próximo ano será a vez das plataformas P-50, no campo de Albacora Leste na Bacia de Campos, e a unidade destinada à primeira fase do campo de Jubarte, no litoral do Espírito Santo. Ao todo, as novas plataformas permitirão um aumento de capacidade de 600 mil barris diários.
Nos três primeiros meses deste ano, revelou Gabrielli, a produção de petróleo e GNL no mercado brasileiro chegou a 1,47 milhão de barris por dia, ante os 1,51 milhão do quatro trimestre de 2003. Já no mercado internacional, a Petrobras obteve uma produção diária de 168 mil barris, ante os 167 mil do trimestre anterior. A queda no mercado brasileiro, enumerou o executivo, deveu-se a interrupções, em fevereiro, das operações da plataforma P-40 e da FPSO Brasil, que operam na Bacia de Campos.

Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar