acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Exploração & Produção

Produção de petróleo aumenta 14,8% e a de gás natural 12%

02/09/2014 | 15h47
Produção de petróleo aumenta 14,8% e a de gás natural 12%
Divulgação Petrobras. Divulgação Petrobras.

 

Produção de petróleo aumenta 14,8% e a de gás natural 12% em julho
A produção total de petróleo e gás natural no Brasil no mês de julho atingiu 2,82 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) por dia, sendo 2,267 milhões de barris diários de petróleo e 87,9 milhões de metros cúbicos de gás natural. O volume é o maior já registrado, superando o do mês anterior, quando a produção de petróleo e gás natural totalizou 2,79 milhões de barris de óleo equivalente por dia. A produção de petróleo também superou a marca de 2,246 milhões de barris por dia, alcançada no mês anterior. Houve aumento de 1% na produção de petróleo em relação a junho de 2014 e de 14,8% na comparação com julho de 2013. A produção de gás natural superou em 1,5% a do mês anterior, de 86,6 milhões de metros cúbicos por dia, e em 12% a de julho de 2013. As informações são do Boletim da Produção da ANP, disponível em http://www.anp.gov.br/?pg=71248.
Pré-sal
A produção no pré-sal diminuiu 0,1% em relação ao mês anterior, totalizando 582,8 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 480,8 mil barris diários de petróleo e 16,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A produção teve origem em 34 poços, localizados nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca, Jubarte, Barracuda, Caratinga, Búzios, Linguado, Lula, Marlim Leste, Pampo, Sapinhoá, Trilha e nas áreas de Iara e Entorno de Iara. Os poços do “pré-sal” são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal, em campos localizados na área definida no inciso IV do caput do art. 2º da Lei nº 12.351, de 2010.
Queima de gás
O aproveitamento do gás natural no mês foi de 94,9%. A queima de gás natural em julho foi cerca de 4,5 milhões de metros cúbicos por dia, um aumento de aproximadamente 5,6% em relação ao mês anterior e de 54,4% em relação a junho de 2013. O principal motivo para o aumento da queima de gás natural foi o comissionamento da plataforma P-58, que iniciou operação nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca e Jubarte.
Campos produtores
Em torno de 90,7% da produção de petróleo e gás natural foram provenientes de campos operados pela Petrobras. Aproximadamente 92,5% da produção de petróleo e 73,5% da produção de gás natural do Brasil foram extraídos de campos marítimos. O campo de Roncador, na bacia de Campos, foi o de maior produção de petróleo, com média de 273,1 mil barris por dia. O maior produtor de gás natural foi o campo de Mexilhão, na bacia de Santos, com média diária de 6,8 milhões de metros cúbicos.
A plataforma P-52, localizada no campo de Roncador, produziu, através de 14 poços a ela interligados, cerca de 133,3 mil barris de óleo equivalente por dia e foi a unidade com maior produção. Os campos cujos contratos são de acumulações marginais produziram um total de 94,5 barris diários de petróleo e 2,2 mil metros cúbicos de gás natural por dia. Dentre esses campos, Bom Lugar, operado pela Alvopetro, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, com 35,4 barris de óleo equivalente por dia.
A produção procedente das bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) foi de 171,7 Mboe/d, sendo 141,6 Mbbl/d de petróleo e 4,8 MMm³/d de gás natural. Desse total, 4,2 Mboe/d foram produzidos por concessões não operadas pela Petrobras, sendo 351 boe/d no Estado de Alagoas, 2.109 boe/d na Bahia, 35 boe/d no Espírito Santo, 1.438 boe/d no Rio Grande do Norte e 247 boe/d em Sergipe.
Outras informações
Em junho, 306 concessões, operadas por 23 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Destas, 85 são concessões marítimas e 221 terrestres. Vale ressaltar que, do total das concessões produtoras, duas encontram-se em atividade exploratória e produzindo através de Teste de Longa Duração (TLD) ou Teste de Formação (TFR), e outras seis são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais.
O grau API médio do petróleo produzido no mês foi de aproximadamente 24,5°, sendo que 9,7 % da produção é considerada óleo leve (>=31°API), 60% é óleo médio (>=22°API e <31°API) e 30,3% é óleo pesado (<22°API), de acordo com a classificação da Portaria ANP nº 09/2000.
A produção de petróleo e gás natural no Brasil foi oriunda de 9.050 poços, sendo 813 marítimos e 8.237 terrestres. O campo com o maior número de poços produtores foi Canto do Amaro, bacia Potiguar, com 1.110 poços. Marlim, localizado na bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores, 62 no total.

A produção total de petróleo e gás natural no Brasil no mês de julho atingiu 2,82 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) por dia, sendo 2,267 milhões de barris diários de petróleo e 87,9 milhões de metros cúbicos de gás natural. O volume é o maior já registrado, superando o do mês anterior, quando a produção de petróleo e gás natural totalizou 2,79 milhões de barris de óleo equivalente por dia. A produção de petróleo também superou a marca de 2,246 milhões de barris por dia, alcançada no mês anterior. Houve aumento de 1% na produção de petróleo em relação a junho de 2014 e de 14,8% na comparação com julho de 2013. A produção de gás natural superou em 1,5% a do mês anterior, de 86,6 milhões de metros cúbicos por dia, e em 12% a de julho de 2013.

As informações são do Boletim da Produção da ANP, disponível em http://www.anp.gov.br/?pg=71248.

 

Pré-sal

A produção no pré-sal diminuiu 0,1% em relação ao mês anterior, totalizando 582,8 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 480,8 mil barris diários de petróleo e 16,2 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. A produção teve origem em 34 poços, localizados nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca, Jubarte, Barracuda, Caratinga, Búzios, Linguado, Lula, Marlim Leste, Pampo, Sapinhoá, Trilha e nas áreas de Iara e Entorno de Iara. Os poços do “pré-sal” são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal, em campos localizados na área definida no inciso IV do caput do art. 2º da Lei nº 12.351, de 2010.

 

Queima de gás

O aproveitamento do gás natural no mês foi de 94,9%. A queima de gás natural em julho foi cerca de 4,5 milhões de metros cúbicos por dia, um aumento de aproximadamente 5,6% em relação ao mês anterior e de 54,4% em relação a julho de 2013. O principal motivo para o aumento da queima de gás natural foi o comissionamento da plataforma P-58, que iniciou operação nos campos de Baleia Azul, Baleia Franca e Jubarte.

 

Campos produtores

Em torno de 90,7% da produção de petróleo e gás natural foram provenientes de campos operados pela Petrobras. Aproximadamente 92,5% da produção de petróleo e 73,5% da produção de gás natural do Brasil foram extraídos de campos marítimos. O campo de Roncador, na bacia de Campos, foi o de maior produção de petróleo, com média de 273,1 mil barris por dia. O maior produtor de gás natural foi o campo de Mexilhão, na bacia de Santos, com média diária de 6,8 milhões de metros cúbicos.

A plataforma P-52, localizada no campo de Roncador, produziu, através de 14 poços a ela interligados, cerca de 133,3 mil barris de óleo equivalente por dia e foi a unidade com maior produção. Os campos cujos contratos são de acumulações marginais produziram um total de 94,5 barris diários de petróleo e 2,2 mil metros cúbicos de gás natural por dia. Dentre esses campos, Bom Lugar, operado pela Alvopetro, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, com 35,4 barris de óleo equivalente por dia.

A produção procedente das bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) foi de 171,7 Mboe/d, sendo 141,6 Mbbl/d de petróleo e 4,8 MMm³/d de gás natural. Desse total, 4,2 Mboe/d foram produzidos por concessões não operadas pela Petrobras, sendo 351 boe/d no Estado de Alagoas, 2.109 boe/d na Bahia, 35 boe/d no Espírito Santo, 1.438 boe/d no Rio Grande do Norte e 247 boe/d em Sergipe.

 

Outras informações

Em junho, 306 concessões, operadas por 23 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Destas, 85 são concessões marítimas e 221 terrestres. Vale ressaltar que, do total das concessões produtoras, duas encontram-se em atividade exploratória e produzindo através de Teste de Longa Duração (TLD) ou Teste de Formação (TFR), e outras seis são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais.

O grau API médio do petróleo produzido no mês foi de aproximadamente 24,5°, sendo que 9,7 % da produção é considerada óleo leve (>=31°API), 60% é óleo médio (>=22°API e <31°API) e 30,3% é óleo pesado (<22°API), de acordo com a classificação da Portaria ANP nº 09/2000.

A produção de petróleo e gás natural no Brasil foi oriunda de 9.050 poços, sendo 813 marítimos e 8.237 terrestres.

O campo com o maior número de poços produtores foi Canto do Amaro, bacia Potiguar, com 1.110 poços. Marlim, localizado na bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores, 62 no total.



Fonte: ANP
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar