acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Biocombustíveis

Produção de cana-de-açúcar cai 27% na segunda quinzena de setembro

15/10/2010 | 09h02
As chuvas que atingem as principais áreas produtoras de cana-de-açúcar estão prejudicando a moagem na Região Centro-Sul do país. Segundo balanço divulgado ontem (14) pela  União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), foram esmagadas 27,16 milhões de toneladas na segunda quinzena de setembro, uma redução de 27,03% em comparação aos primeiros quinze dias do mês. 
 

Em relação aos 42,07 milhões de toneladas processados na segunda quinzena de agosto, a queda é de 35%. Até o final de setembro, foram moídos 444,54 milhões de toneladas. 
 

A grande ocorrência de chuvas tem feito com que os produtores reduzam a quantidade de cana destinada a produção de açúcar, de acordo com o diretor técnico da Unica, Antonio de Pádua Rodrigues. “É natural uma redução na produção de açúcar no último terço da safra, contudo, ao longo de setembro esse aspecto foi intensificado pela maior ocorrência de chuvas e pela consequente deterioração da qualidade da cana”.
 

Na segunda quinzena de setembro, a quantidade de cana destinada à produção de açúcar caiu para 44,70%, contra 46,41% nos primeiros quinze dias do mês. Com isso, a produção de açúcar na segunda metade de setembro ficou em 1,97 milhão de toneladas, queda de 25,70% em relação aos primeiros dias do mês.
 

A safra também acumula a produção de 20,30 bilhões de litros de etanol, crescimento de 22,59% comparado ao mesmo período de 2009. Desse total, 1,49 bilhão foi produzido na segunda quinzena de setembro. 
 

Do total de etanol produzido, de abril a setembro, foram comercializados 13,30 bilhões de litros, queda de 5,49% em comparação ao mesmo período da safra anterior (2009/2010). Segundo a Unica, a diminuição está relacionada a  um “forte declínio das exportações”. As vendas para o mercado interno, no entanto, tiveram alta de 1,30%.


Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar