acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Produção da Opep cai 80 mil barris por dia

12/04/2007 | 00h00

Os 10 membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) que seguem os acordos de produção do grupo, produziram em conjunto uma média de 26,54 milhões de barris por dia (b/d) em março, conforme mostra uma pesquisa da Platts em 11 de abril.

Isto representa uma queda de 80.000 b/d comparados com os 26,62 milhões b/d de fevereiro mas ainda está 740.000 b/d acima da meta de produção de 25,8 milhões b/d, estabelecida pelo grupo.
   
A produção total de todos os 12 membros, incluindo o Iraque, que não segue os acordos de produção da OPEP, e Angola, que se uniu ao grupo em janeiro de 2007, diminuiu em 70.000 b/d para 30,11 milhões b/d, conforme mostra as estimativas da pesquisa.
   
"Certamente não há nenhum sinal de que preços mais altos estão fazendo com que os produtores da Opep coloquem mais petróleo no mercado", disse John Kingston, Diretor Global de Petróleo da Platts.

"Ao contrário, as ações tomadas pelo grupo, há vários meses, para restringir a produção ainda estão firmemente em uso. Com o terceiro e quarto trimestres, que são historicamente períodos de crescimento de demanda, a poucos meses a frente, não vai demorar para que o grupo enfrente a questão de colocar ou não mais petróleo no mercado", acrescentou o executivo.
   
Entre os 10 da OPEP, houve pequenos aumentos da produção da Indonésia e dos Emirados Árabes Unidos (EAU), mas a Nigéria, após o mais recente ataque a uma instalação petrolífera no Delta do Rio Niger, apresentou queda na produção total de 100.000 b/d.
   
Os volumes do Iraque caíram ligeiramente em fevereiro, enquanto que a produção de Angola continuou a subir.
   
Os ministros da Opep concordaram em outubro passado, em remover 1,2 milhão b/d de petróleo bruto dos mercados mundiais de petróleo a partir de novembro, alegando que o fornecimento estava com muito excesso em relação à demanda e estabelecendo uma meta de produção de 26,3 milhões b/d. Em dezembro, eles concordaram em expandir o corte em 500,000 b/d a partir de fevereiro, trazendo a meta para 25,8 milhões b/d. Os cortes foram baseados na produção estimada de setembro de 27,5 milhões b/d.
   
A última pesquisa mostra que os 10 da Opep cortaram o fornecimento em aproximadamente 1,27 milhão b/d desde setembro, quando a Platts estima que a produção foi mantida em 27,81 milhões b/d.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar