acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia Eólica

Primeira fábrica de aerogeradores da Bahia será inaugurada em maio

27/01/2011 | 09h11
A espanhola Gamesa inaugura, em maio, a primeira fábrica de aerogeradores da Bahia, que está sendo implantada no Polo Industrial de Camaçari. Com investimento inicial de R$ 50 milhões, a empresa vai gerar, nesta primeira fase, 60 postos de trabalho diretos, com mão de obra 100% baiana.
 
 
"Os trabalhadores serão baianos e 40% dos componentes dos aerogeradores, fabricados em 2011, serão nacionais. Para 2013 podemos garantir aos nossos clientes um mínimo 60% de nacionalização de nossos equipamentos”, afirma o diretor da Gamesa, Álvaro Carrascosa.
 

Antes mesmo de inaugurar a sua fábrica baiana, a Gamesa já tem algumas encomendas. A primeira delas deve ser entregue até dezembro: são 21 equipamentos (42 MW) para o Parque Dunas do Paracuru, no Ceará. Já para 2011, o faturamento previsto é de cerca de R$ 100 milhões.
 

Com fábricas na China, EUA, Índia e Europa - a Gamesa tem mostrado bastante agilidade em sua implantação no Brasil.  ”As obras de construção da fábrica foram iniciadas em 7 de dezembro de 2010, uma semana após a assinatura de protocolo de intenção com o Governo da Bahia. Até o final de fevereiro, devem chegar quatro pontes rolantes, que vão servir para movimentar a carga de toda linha de produção da fábrica”, diz Carrascosa.
 

”A Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração está acompanhando com muita atenção todos os empreendimentos de eólica. A Gamesa é fruto dos 34 projetos de parque eólicos que serão aqui implantados. O nosso desafio agora é atrair outras empresas da cadeia produtiva, contribuindo para o surgimento de um polo industrial da energia eólica na Bahia”, diz o secretário James Correia. 
 

Oitenta por cento da produção de aerogeradores da Gamesa será destinada ao mercado interno e 20% para o exterior, com vendas de equipamentos para a Argentina, Chile e Uruguai. “A implantação do projeto no Brasil tem uma importância estratégica, pois servirá de base para o abastecimento da América Latina”, explica o diretor, que já prevê uma futura expansão: “Se os bons ventos soprarem a favor da Gamesa na Bahia, acredito que, no início de 2013, a empresa já comece uma ampliação”, aposta Carrascoza.
 

Potencial eólico 
 

Além da Gamesa, a francesa Alstom está em fase de instalação, também em Camaçari, com investimentos previstos de R$ 50 milhões e geração de 150 empregos. A empresa começou a desembarcar no final do ano passado, no Terminal de Container (Tecon) Salvador, equipamentos destinados à construção do primeiro Parque Eólico da Bahia, no município de Brotas de Macaúbas. No total serão desembarcados 57 nacelles (motores) e 171 pás (hélices gigantes), que deverão começar a ser transportadas para o local do parque ainda em janeiro.
 

Terceiro maior estado em número de empreendimentos contratados nos leilões de energia renovável, a Bahia tem 34 projetos, todos em implantação, que somam R$ 4 bilhões, com previsão de gerar 3 mil novos empregos. Quando for iniciada a fase de operação, os parques eólicos irão acrescentar 997,4 megawatts à rede elétrica. Localizados na região Sudoeste, Central e no Vale do São Francisco, a previsão é de que 18 parques estejam em pleno funcionamento em setembro de 2012. 


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar