acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
QAV

Preços pelos ares

17/01/2006 | 00h00

Enquanto tenta evitar a pressão da entressafra da cana-de-açúcar nos preços do álcool e da gasolina em pleno ano eleitoral, o governo não se furta a autorizar aumentos no querosene de aviação (QAV), considerado a grande pedra no sapato nas tabelas de custos da aviação civil brasileira.

Ontem, a Petrobras reajustou o QAV em 3%, o que elevou a alta acumulada nas duas semanas do ano para 10,5%, segundo o Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea). No ano passado, quando seguidos furacões no Golfo do México levaram o barril de petróleo a patamares recordes, o aumento acumulado do QAV no Brasil foi de 8,9%.

Em outubro do ano passado, integrantes do Snea já haviam se reunido com representantes da Petrobras para evitar aumentos sucessivos no preço do combustível, que chega a representar mais de 50% dos custos das companhias menores. Na época, o sindicato buscava reformular a metodologia utilizada pela estatal para definir o preço do QAV.

As principais críticas eram ao reajuste quinzenal baseado nos preços do combustível vendido nas refinarias do Golfo do México.



Fonte: Jornal do Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar