acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mercado

Preços do petróleo recuam com oferta saudita

06/09/2004 | 00h00

Os preços do petróleo baixaram na segunda-feira (06/09) devido ao corte de preços efetuado pela Arábia Saudita na venda de cru para os Estados Unidos e Europa, de tal forma a amortecer qualquer movimento contrário de aumento de preços.
O Brent caiu 33 centavos, para US$ 40,90 o barril. As vendas foram fracas, com os mercados norte-americanos fechados por causa do feriado do dia do trabalho.
Os preços caíram na medida em que a Arábia Saudita cortou os preços para vendas em outubro, tanto para Estados Unidos, quanto Europa, seguindo uma demanda de oferecer aos consumidores todo o petróleo que querem para tentar esfriar os preços.
Os cortes foram maiores para o petróleo de maior grau API, de tal forma a torná-lo mais atrativo, com o óleo combustível produzido, quando comparado aos melhores retornos de óleos leves.
A tentativa saudita falhou pois os refinarias não mostraram-se dispostas a comprar o óleo mais pesado,que representa o grosso do fornecimento extra saudita. Elas querem óleo mais leve, que produzem derivados de maior valor como a gasolina.
Os preços estão cerca de US$ 4 abaixo do pico alcançado na última semana, depois que fundos com enormes recursos lucraram com seus movimentos especulativos, que fizeram os preços subirem 40% durante este ano. 
Os especuladores que negociam com o petróleo cru na bolsa de mercadoria de Nova Iorque reduziram as posições de mercado futuro na semana concluída a 31/08 para USD 27,962 o barril, menos 40 % do que os níveis nas 02 semanas anteriores, disse a Comissão de Mercado Futuro de Mercadorias.
As vendas forma afetadas positivamente em parte pelos estoques de combustíveis dos EUA até o dia do trabalho, quando a demanda tende a ceder.
O rápido crescimento da demanda mundial e o limite da capacidade de produção limitou a queda dos preços. Os estoques dos Estados Unidos na última semana mostrando seu nível mais baixo aumentou os preços acentuadamente frente às últimas seis semanas.
"Os fundos de hedge saindo de suas posições no mercado futruro de petróleo podem contribuir para a queda contínua dos preço no curto prazo, mas um cenário ainda crítico para este mercado manterá os especuladores atentos sobre as oportunidades que ele oferece", disseram os analistas da PFC Energy em um relatório.
O medo de uma interrupção no suprimento dos maiores exportadores do Oriente Média  ainda mantem o força dos preços do petróleo.
O bombeio de petróleo através de um oleoduto no norte iraquiano ainda estava interrompido após um ataque na última semana. Os reparos na linha vão tomar, pelo menos, uma semana. 
A sabotagem paralisou o oleoduto que sai de Kirkut para o porto turco do Ceyhan, fechado a maior parte do tempo desde a invasão norte-americana em março de 2003.
O encontro dos ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) no dia 15 de setembro objetiva criar uma política de suprimento para o quarto trimestre. O grupo, que controle metade das exportações mundiais de petróleo, diz que esta fazendo tudo o que pode para controlar os preços.
Os 10 membros da Opep estão bombeando cerca de 1,8 milhões de barris por dia além do limite oficial de 26 milhões de barris diárias. Delegados seniors da Opep disseram que o grupo vai aumentar o teto de sua produção para refletir a produção atual.



Fonte: Reuters
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar