acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

Preços de commodities com influência na inflação brasileira têm queda de 0,08%

05/09/2012 | 17h02

 

O Índice de Commodities Brasil (IC-Br), calculado mensalmente pelo Banco Central (BC), teve queda de 0,08%, em agosto, em relação ao mês anterior. No acumulado do ano até agosto, foi registrada alta de 8,62% e, em 12 meses, de 11,33%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (5) pelo BC.
O IC-Br é calculado com base na variação em reais dos preços de produtos primários (commodities) brasileiros negociados no exterior. O Banco Central observa os produtos que são relevantes para a dinâmica dos preços ao consumidor no Brasil.
No mês, a queda do indicador foi puxada pelo segmento de metais (alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel), que registrou retração de 2,02%. O indicador do segmento agropecuário, formado por carne de boi, algodão, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco, teve queda de 0,91%. Já o segmento de energia (petróleo, gás natural e carvão) apresentou alta de 7,1%.
O índice internacional de preços de commodities (CRB), calculado pelo Commodity Research Bureau, registrou alta de 1,56% em agosto e de 12,27%, nos oito meses do ano. Em 12 meses encerrados em agosto, houve aumento de 14,23%.

O Índice de Commodities Brasil (IC-Br), calculado mensalmente pelo Banco Central (BC), teve queda de 0,08%, em agosto, em relação ao mês anterior. No acumulado do ano até agosto, foi registrada alta de 8,62% e, em 12 meses, de 11,33%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (5) pelo BC.


O IC-Br é calculado com base na variação em reais dos preços de produtos primários (commodities) brasileiros negociados no exterior. O Banco Central observa os produtos que são relevantes para a dinâmica dos preços ao consumidor no Brasil.


No mês, a queda do indicador foi puxada pelo segmento de metais (alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel), que registrou retração de 2,02%. O indicador do segmento agropecuário, formado por carne de boi, algodão, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco, teve queda de 0,91%. Já o segmento de energia (petróleo, gás natural e carvão) apresentou alta de 7,1%.


O índice internacional de preços de commodities (CRB), calculado pelo Commodity Research Bureau, registrou alta de 1,56% em agosto e de 12,27%, nos oito meses do ano. Em 12 meses encerrados em agosto, houve aumento de 14,23%.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar