acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Siderurgia

Preço do aço na China cai e se aproxima do repolho

15/10/2014 | 10h02

 

A forte queda na demanda por aço na China rebaixou os preços, em alguns mercados, ao nivel da cotação do repolho, à medida que crescem as preocupações com que o consumo anual de aço poderá encolher pela primeira vez em 19 anos.
Alguns tipos de vergalhões, um produto de aço utilizado em construção, caiu para 2,6 mil ienes (US$ 419) por tonelada em mercados no norte da China, nesta semana, de acordo com os preços no Steelhome, website do setor. Esse valor é equivalente ao preço do repolho no varejo.
O consumo chinês de aço foi sustentado durante anos pelo boom na demanda de geladeiras, na construção de supermercados, em vagões de trem e em estufas que hoje permitem que os habitantes de Pequim tenham acesso a vegetais frescos durante todo o inverno. Mas essa demanda está caindo acentuadamente, com a frenagem no crescimento econômico da China.
Por seu turno, o repolho não é o produto onipresente que já foi. Caminhões carregados com o vegetal já não são vistos em Pequim no outono e alguns moradores os empilham sob suas escadarias, em antecipação ao inverno.
A queda na demanda por aço "é uma tendência de longo prazo", disse Li Xinchuang, da China Iron and Steel Association, que representa as maiores siderúrgicas no país. Dados da Associação mostram que o consumo de aço caiu em julho e agosto, em comparação com o ano anterior. Li disse que o declínio persistiu em setembro.
A queda no consumo de aço no terceiro trimestre reflete, em grande parte, um ritmo menor na construção de moradias. Uma queda similar neste trimestre faria de 2014 o primeiro ano de queda no consumo desde 1995, quando a economia chinesa estava recuperando-se de um surto inflacionário.
"Todos os indicadores que analisamos mostram ser improvável que a recuperação da economia no quarto trimestre seja forte", disse Song Chunlei, vice-diretor da LGMI, consultoria especializada no setor do aço com sede em Pequim.

A forte queda na demanda por aço na China rebaixou os preços, em alguns mercados, ao nivel da cotação do repolho, à medida que crescem as preocupações com que o consumo anual de aço poderá encolher pela primeira vez em 19 anos.

Alguns tipos de vergalhões, um produto de aço utilizado em construção, caiu para 2,6 mil ienes (US$ 419) por tonelada em mercados no norte da China, nesta semana, de acordo com os preços no Steelhome, website do setor.

Esse valor é equivalente ao preço do repolho no varejo.

O consumo chinês de aço foi sustentado durante anos pelo boom na demanda de geladeiras, na construção de supermercados, em vagões de trem e em estufas que hoje permitem que os habitantes de Pequim tenham acesso a vegetais frescos durante todo o inverno.

Mas essa demanda está caindo acentuadamente, com a frenagem no crescimento econômico da China.

Por seu turno, o repolho não é o produto onipresente que já foi.

Caminhões carregados com o vegetal já não são vistos em Pequim no outono e alguns moradores os empilham sob suas escadarias, em antecipação ao inverno.

A queda na demanda por aço "é uma tendência de longo prazo", disse Li Xinchuang, da China Iron and Steel Association, que representa as maiores siderúrgicas no país.

Dados da Associação mostram que o consumo de aço caiu em julho e agosto, em comparação com o ano anterior. Li disse que o declínio persistiu em setembro.

A queda no consumo de aço no terceiro trimestre reflete, em grande parte, um ritmo menor na construção de moradias. Uma queda similar neste trimestre faria de 2014 o primeiro ano de queda no consumo desde 1995, quando a economia chinesa estava recuperando-se de um surto inflacionário.

"Todos os indicadores que analisamos mostram ser improvável que a recuperação da economia no quarto trimestre seja forte", disse Song Chunlei, vice-diretor da LGMI, consultoria especializada no setor do aço com sede em Pequim.

 



Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar