acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Porto do Açu é bem posicionado e interessa à Petrobras

11/04/2013 | 18h04

 

A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse nesta quinta-feira (11) em Porto Alegre que o porto de Açu, que está sendo construído no litoral norte do Rio de Janeiro pela LLX, do empresário Eike Batista, “é uma infraestrutura muito bem posicionada e que interessa” à estatal. Segundo ela, companhia decidiu fazer “só aquilo que depende dela”, que é a exploração e produção de petróleo, e deixar a construção de infraestrutura por conta do “mercado” e dos “empresários”.
“Expandir infraestrutura não é negócio para a Petrobras. Deixa que o mercado constrói, que os empresários construam [a infraestrutura] e vamos fazer contratos com projetos de maior confiabilidade e menor tarifa”, disse a executiva em entrevista após a apresentação do plano de negócios da estatal para o período 2013-2013 na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs).
Segundo Graça, há “várias discussões” em andamento entre a Petrobras e a LLX. Ela não fez previsões sobre prazos, mas vê diferentes possibilidades de utilização do complexo portuário, incluindo contratação de capacidade para importação de gás natural (GNL), dependendo dos resultados dos leilões do setor elétrico e da disposição da LLX em construir um berço para recebimento do combustível.

A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse nesta quinta-feira (11) em Porto Alegre que o porto de Açu, que está sendo construído no litoral norte do Rio de Janeiro pela LLX, do empresário Eike Batista, “é uma infraestrutura muito bem posicionada e que interessa” à estatal. Segundo ela, companhia decidiu fazer “só aquilo que depende dela”, que é a exploração e produção de petróleo, e deixar a construção de infraestrutura por conta do “mercado” e dos “empresários”.


“Expandir infraestrutura não é negócio para a Petrobras. Deixa que o mercado constrói, que os empresários construam [a infraestrutura] e vamos fazer contratos com projetos de maior confiabilidade e menor tarifa”, disse a executiva em entrevista após a apresentação do plano de negócios da estatal para o período 2013-2013 na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs).


Segundo Graça, há “várias discussões” em andamento entre a Petrobras e a LLX. Ela não fez previsões sobre prazos, mas vê diferentes possibilidades de utilização do complexo portuário, incluindo contratação de capacidade para importação de gás natural (GNL), dependendo dos resultados dos leilões do setor elétrico e da disposição da LLX em construir um berço para recebimento do combustível.

 



Fonte: Valor Online
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar