acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
P-34

Plataforma segue rumo a Jubarte

07/11/2006 | 00h00

O navio-plataforma P-34 deixou o porto de Vitória na manhã desta sexta-feira e segue rumo ao Campo de Jubarte, no Sul do estado, onde deve chegar na manhã deste sábado. Centenas de pessoas acompanharam a operação de retirada da plataforma da baía da capital. Os procedimentos duraram aproximadamente sete horas. O trânsito na Terceira Ponte ficou interrompido durante 17 minutos, enquanto a estrutura era rebocada para o porto de Praia Mole, no complexo de Tubarão.

O gerente de construção e montagem da P-34, Almir Pustilnick, garante que a operação seguiu como o planejado. “Todo o planejamento executado durante esses meses foi cumprido rigorosamente. A retirada da P-34 do Espírito Santo foi uma Vitória”, afirmou.

E a P-34 pode ser apenas a primeira plataforma da Petrobras a ser reformada em portos capixabas, de acordo com o gerente geral da empresa no estado, Márcio Félix. “São feitas licitações e as empresas oferecem as alternativas. Existem projetos que estão considerando a utilização de portos do Espírito Santo, especialmente Barra do Riacho. Mas isso vai depender do resultado das licitações. Não é uma decisão da Petrobras”, ponderou.

A operação teve início por volta das 4h, com a desatracação, que envolveu quase 40 operários. Os cabos que seguravam a embarcação no cais foram retirados e conectados a rebocadores portuários, que se encarregaram de levar o navio até um área mais profunda, próxima ao Penedo. Lá a embarcação permaneceu por aproximadamente quatro horas, enquanto era lastrada em sete metros para que adquirisse maior estabilidade. Com condições climáticas favoráveis e o nível da maré adequado, a plataforma começou a ser rebocada às 9h40, um pouco mais tarde do que o previsto. A previsão era de que às 9 horas a plataforma já estaria sob a Terceira Ponte, mas a maré demorou a atingir o nível esperado para o transporte.

Imprevisto

Duas horas depois já havia ultrapassado a Terceira Ponte. A operação foi delicada: a torre de produção do navio passou a oito metros do vão central da ponte. Um imprevisto foi registrado enquanto o navio-plataforma passava pelo local: um homem com problemas psiquiátricos, que já tinha entrado de carro na ponte antes da interdição, parou o veículo no vão central e ameaçou se jogar. O time de controle operacional da Rodosol foi acionado e conseguiu conter o homem, que foi convencido a não se jogar.

A plataforma não tem motor e durante todo o percurso foi rebocada por outras embarcações. Ela navegou a uma velocidade de dois nós (4 km por hora) e seguiu até o porto de Praia Mole, no complexo de Tubarão, onde os rebocadores portuários foram substituídos por oceânicos. A estimativa é que a P-34 demore 15 horas para chegar ao campo de Jubarte. A embarcação será ancorada em lâmina d´água de 1.350 metros por volta das 6 h de sábado e terá capacidade de produzir 60 mil barris de petróleo por dia. Quando começar a operar, em um prazo máximo de 30 dias, estará conectada a apenas um poço de petróleo. Até o final do ano ela passará a funcionar com capacidade máxima, acionando outros três poços em alto mar. A produção do campo de Jubarte passará a ser de 140 mil barris de petróleo por dia.

A P-34 ficou atracada no porto de Vitória para que fossem feitas reformas e uma série de vistorias. Batizada plataforma "Presidente JK" (P-34), já está liberada pela Capitania desde o último dia 29. Desde então foram feitos testes no heliponto e na embarcação. Os técnicos da Marinha também verificaram a documentação da plataforma e da tripulação, formada por 150 pessoas.



Fonte: A Gazeta - ES
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar