acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Petroquímica

Plano da Braskem prevê gerar R$ 420 mi anuais

11/11/2004 | 00h00

A Braskem prepara seu salto de competitividade. A companhia petroquímica anunciou ontem seu programa estratégico de criação de valor com o qual espera obter ganhos anuais e recorrentes de R$ 420 milhões.
Chamado de "Braskem Mais", o programa prevê duas centenas de iniciativas a serem adotadas com metas e prazos para melhorar a eficiência operacional da companhia.
Trata-se de uma tentativa de aproximação dos índices de desempenho das companhias petroquímicas internacionais. Entre as ações, incluem-se aumento no rendimento do uso das matérias-primas e da confiabilidade dos processos operacionais.
"Já éramos referência em alguns processos, mas buscaremos os `benchmarkings` internacionais em outros", disse o presidente da Braskem, José Carlos Grubisich. Segundo o executivo, o objetivo é criar as bases para a internacionalização da companhia.
O ganho integral de R$ 420 milhões anuais deve ser obtido a partir de 2007, quando o programa estiver totalmente implantado. Em 2004, a expectativa é gerar R$ 60 milhões num cenário anualizado de 12 meses.
O programa faz parte de uma estratégia da Braskem que prevê aliar o aumento da capacidade de produção e investimentos em inovação. Até 2007, a Braskem espera ampliar sua capacidade em mais 1,2 milhão de toneladas de produtos petroquímicos - incluindo dois projetos com a Petrobras.
Na questão da inovação, a companhia revelou, pela primeira vez, o valor do "pipeline" de seus projetos de desenvolvimento pelos quais espera garantir melhora no mix de produtos. Medido pela consultoria Monitor, os 139 projetos atuais de inovação possuem valor potencial de U$ 250 milhões.
Ao fim da implantação do plano estratégico, em 2007, a Braskem espera estar preparada para enfrentar em condições mais favoráveis o ciclo previsto de baixa de preços da indústria petroquímica e tentar ampliar sua atuação além das fronteiras brasileiras.
A intenção do programa de competitividade já era conhecida, mas o detalhamento de suas metas impulsionou as ações da companhia ontem na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Os papéis preferenciais, de classe A, fecharam a R$ 111,44 por lote de mil ações, com variação de 4,63% no dia. Em 12 meses, acumulam alta de 195,1%, enquanto o Ibovespa variou 26,29%
O "Braskem Mais" está sendo implantado em sequência ao plano de captura de sinergias. A companhia gerou R$ 323 milhões em ganhos de sinergias até setembro por conta da integração dos ativos de seis empresas petroquímicas que deram origem à Braskem, em agosto de 2002. Segundo José Carlos Grubisich, a meta, de R$ 330 milhões, deverá ser ultrapassada em "alguns milhões".
O programa de competitividade foi traçado pela Braskem com ajuda das consultorias Solomon Associates, que mapeou os processos industriais, e McKinsey, que projetou a gestão dos processos. Prevê-se 218 projetos no período de 2004-2007.
Dos R$ 420 milhões de ganhos potenciais, a Braskem projeta obter R$ 125 milhões sem a necessidade de investimentos adicionais. Os demais R$ 295 milhões exigirão investimentos de R$ 334 milhões, cuja taxa interna de retorno é calculada em 79%.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar