acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Bacia do Parnaíba

Piauí deve produzir gás natural e petróleo em 2017

14/03/2016 | 11h50

O governador Wellington Dias recebeu, na noite da última quinta-feira (10), diretores da Ouro Preto Óleo e Gás, que promove pesquisas na Bacia do Parnaíba em busca de gás natural e petróleo. A empresa adquiriu através de licitação junto a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), três blocos exploratórios no Piauí, uma área correspondente a 9 mil km². A primeira fase de levantamentos, concluída em fevereiro, trouxe resultados animadores.

“Essa é uma bacia com potencial muito grande de produção de gás e óleo. Isso eleva as perspectivas de que a gente possa vender esse gás a preços interessantes que possam recuperar os nossos investimentos”, relatou Rodolfo Landim, diretor da empresa.

A bacia do Parnaíba é a quinta maior produtora de gás natural no Brasil. A Ouro Preto já investiu cerca de R$ 30 milhões em coleta e processamento de dados. No Piauí, as pesquisas mais avançadas se concentram nos municípios de Floriano, Nazaré e São Francisco. As sondagens revelaram possíveis reservas de gás a mil metros de profundidade no subsolo piauiense, um diferencial importante para redução dos custos de exploração. O governador Wellington Dias determinou à equipe de governo a adoção de todas as providências necessárias para antecipar a perfuração dos poços. A extração de gás e petróleo deve começar em 2017.

“Vamos trabalhar junto à ANP para antecipar a perfuração dos poços no Piauí. Nos dispomos ainda a encontrar uma modelagem de parceria com o grupo Ouro Preto. Daremos todo apoio porque é uma estratégia para o desenvolvimento do Piauí” pontuou Dias.

A produção de gás é uma alternativa de incremento na arrecadação estadual, atração de novas empresas no estado, além da geração de empregos. Os diretores da Ouro Preto elogiaram a postura do governo para superar entraves burocráticos que retardam o andamento do processo de instalação. Participaram da reunião o presidente da Gaspisa, Evaldo Lira, o secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, o superintendente de Meio Ambiente, Carlos Moura Fé, o secretário de Reforma e Regularização Fundiária, José Osmar e o secretário de Mineração, Luís Coelho.

 

 



Fonte: Assessoria Governo do Piauí
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar