acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Argentina

Petrolíferas fornecerão combustível para indústrias em crise energética

13/07/2007 | 00h00
De acordo com o ministro do Planejamento da Argentina, Julio De Vido, que lançou o programa ontem (12), as petrolíferas YPF (estatal local), Esso e Petrobras fornecerão, a partir de hoje (13), combustíveis líquidos para as indústrias pelo mesmo preço do gás natural, que é mais barato, conforme informações divulgadas pela Agência Telam. A previsão é que o plano dure 90 dias.



A substituição foi acordada após reunião entre dirigentes das petrolíferas e o presidente da Argentina, Néstor Kirchner. Ainda segundo a agência de notícias, De Vido afirmou que a expectativa é economia de 5,8 milhões de metros cúbicos de gás e 400 megawatts de energia por dia.



O volume será destinado ao consumo residencial, geração de energia elétrica e fábricas com contratos que não podem ser alterados. Com a baixa temperatura, os argentinos passaram a consumir mais energia, por conta, principalmente, da utilização de aquecedores. Além disso, a Petrobras e a YPF ampliaram a redução dos preços da gasolina para taxistas e motoristas de transportes de mercadorias e serviços públicos de todo o país. Eles poderão abastecer os tanques com gasolina e pagar o valor do gás natural veicular (GNV). Segundo a estatal brasileira, a medida vale para os 225 postos da empresa que fornecem os dois combustíveis.

, ,, ,, De acordo com o ministro do Planejamento da Argentina, Julio De Vido, que lançou o programa ontem (12), as petrolíferas YPF (estatal local), Esso e Petrobras fornecerão, a partir de hoje (13), combustíveis líquidos para as indústrias pelo mesmo preço do gás natural, que é mais barato, conforme informações divulgadas pela Agência Telam. A previsão é que o plano dure 90 dias.



A substituição foi acordada após reunião entre dirigentes das petrolíferas e o presidente da Argentina, Néstor Kirchner. Ainda segundo a agência de notícias, De Vido afirmou que a expectativa é economia de 5,8 milhões de metros cúbicos de gás e 400 megawatts de energia por dia.



O volume será destinado ao consumo residencial, geração de energia elétrica e fábricas com contratos que não podem ser alterados. Com a baixa temperatura, os argentinos passaram a consumir mais energia, por conta, principalmente, da utilização de aquecedores. Além disso, a Petrobras e a YPF ampliaram a redução dos preços da gasolina para taxistas e motoristas de transportes de mercadorias e serviços públicos de todo o país. Eles poderão abastecer os tanques com gasolina e pagar o valor do gás natural veicular (GNV). Segundo a estatal brasileira, a medida vale para os 225 postos da empresa que fornecem os dois combustíveis.

, ,, ,

Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar