acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petróleo e Gás

Petrolífera Karoon inicia exploração na bacia de Santos

02/10/2012 | 14h47

 

A empresa australiana Karoon vai iniciar a campanha exploratória de seus blocos de petróleo na bacia de Santos no mês de novembro, disse o diretor-geral da companhia para a América do Sul, Tim Hosking.
Hosking afirmou, em entrevista por email à "Reuters", que no próximo mês a companhia vai perfurar três poços de exploração utilizando a plataforma Blackford Dolphin. Esta fase tem duração prevista entre 6 e 9 meses, disse ele.
A companhia estima um potencial de até 400 milhões de barris de petróleo em cada um dos três poços brasileiros. "Sendo bem sucedida esta primeira fase, a Karoon dará início a um plano de avaliação da área com base nas informações levantadas nos poços estudados", informou o executivo.
A Karoon possui no Brasil os blocos BM-S 61, 62, 68, 69, 70, localizados a 220 km da costa de Santa Catarina, em lâmina d'água que varia entre 250m e 450m.
A empresa comprou os cinco blocos em 2008, onde detinha 100% de participação. Os blocos possuem 865 quilômetros quadrados. A companhia também tem fatia minoritária em um bloco operado pela Petrobras, também na costa de Santa Catarina.
Venda
A campanha exploratória da Karoon ganhou força após a venda de participação de 35% em quatro blocos para a canadense Pacific Rubiales, no mês de setembro, no valor de US$ 40 milhões à vista.
O acordo prevê que a Pacif Rubiales financie US$ 210 milhões relativos aos custos de perfuração dos poços.
A Karoon permanecerá operadora dos blocos até o término do programa exploratório em três poços nesses blocos, e a partir daí a Pacific Rubiales terá o direito de requerer a condição de operadora, caso haja acordo entre as partes e aprovação das condições pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
Abertura de capital
A Karoon cogitou abrir o seu capital na Bolsa de Valores de São Paulo há dois anos, e chegou a registrar pedido de análise para a venda inicial de ações no Brasil na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em setembro de 2010. O banco Morgan Stanley foi contratado para coordenar a operação.
Dois meses depois, em novembro de 2010, a Karoon desistiu do IPO (sigla em inglês para a venda inicial de ações), alegando condições desfavoráveis do mercado financeiro.
Segundo disse a empresa na época, levantamentos de capital de petróleo e gás no mercado acionário brasileiro não estavam atendendo às expectativas do mercado, causando alguma hesitação por parte dos investidores.
Com relação à possibilidade de participação nos novos leilões de petróleo previstos para 2013, o executivo disse que, "quando as áreas forem anunciadas, a Karoon fará os estudos necessários para, então, tomar alguma decisão". Ele disse que a companhia tem expectativas de crescimento no Brasil, "tanto do ponto e vista de negócios como de desenvolvimento geotécnico".

A empresa australiana Karoon vai iniciar a campanha exploratória de seus blocos de petróleo na bacia de Santos no mês de novembro, disse o diretor-geral da companhia para a América do Sul, Tim Hosking.


Hosking afirmou, em entrevista por email à "Reuters", que no próximo mês a companhia vai perfurar três poços de exploração utilizando a plataforma Blackford Dolphin. Esta fase tem duração prevista entre 6 e 9 meses, disse ele.


A companhia estima um potencial de até 400 milhões de barris de petróleo em cada um dos três poços brasileiros. "Sendo bem sucedida esta primeira fase, a Karoon dará início a um plano de avaliação da área com base nas informações levantadas nos poços estudados", informou o executivo.


A Karoon possui no Brasil os blocos BM-S 61, 62, 68, 69, 70, localizados a 220 km da costa de Santa Catarina, em lâmina d'água que varia entre 250m e 450m.


A empresa comprou os cinco blocos em 2008, onde detinha 100% de participação. Os blocos possuem 865 quilômetros quadrados. A companhia também tem fatia minoritária em um bloco operado pela Petrobras, também na costa de Santa Catarina.



Venda


A campanha exploratória da Karoon ganhou força após a venda de participação de 35% em quatro blocos para a canadense Pacific Rubiales, no mês de setembro, no valor de US$ 40 milhões à vista.


O acordo prevê que a Pacif Rubiales financie US$ 210 milhões relativos aos custos de perfuração dos poços.


A Karoon permanecerá operadora dos blocos até o término do programa exploratório em três poços nesses blocos, e a partir daí a Pacific Rubiales terá o direito de requerer a condição de operadora, caso haja acordo entre as partes e aprovação das condições pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).



Abertura de capital


A Karoon cogitou abrir o seu capital na Bolsa de Valores de São Paulo há dois anos, e chegou a registrar pedido de análise para a venda inicial de ações no Brasil na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em setembro de 2010. O banco Morgan Stanley foi contratado para coordenar a operação.


Dois meses depois, em novembro de 2010, a Karoon desistiu do IPO (sigla em inglês para a venda inicial de ações), alegando condições desfavoráveis do mercado financeiro.


Segundo disse a empresa na época, levantamentos de capital de petróleo e gás no mercado acionário brasileiro não estavam atendendo às expectativas do mercado, causando alguma hesitação por parte dos investidores.


Com relação à possibilidade de participação nos novos leilões de petróleo previstos para 2013, o executivo disse que, "quando as áreas forem anunciadas, a Karoon fará os estudos necessários para, então, tomar alguma decisão". Ele disse que a companhia tem expectativas de crescimento no Brasil, "tanto do ponto e vista de negócios como de desenvolvimento geotécnico".

 



Fonte: Agência Reuters
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar