acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Preços

Petróleo sobe moderadamente com visão mais otimista da AIE para demanda

15/03/2018 | 11h52

Os contratos futuros de petróleo operam em alta moderada nesta manhã, após exibirem alguma volatilidade nas últimas horas, em meio a novos sinais de que o apetite pela commodity cresce de forma mais rápida do que o esperado.

Às 8h37 (de Brasília), o barril do Brent para maio subia 0,29% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 65,08, enquanto o do WTI para abril avançava 0,48% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 61,25.

Em relatório mensal divulgado mais cedo, a Agência Internacional de Energia (AIE) previu que a demanda global por petróleo irá crescer 1,5 milhão de barris por dia (bpd) em 2018, a 99,3 milhões de bpd, o que representa uma revisão para cima de 90 mil bpd.

A demanda robusta deverá ajudar a compensar o forte avanço na produção de óleo de xisto dos EUA, garantindo o equilíbrio do mercado este ano, segundo a AIE.

Alguns economistas alertam, porém, que o aumento incessante da oferta, em especial dos EUA, continua sendo um fator de risco para o reequilíbrio do mercado, que está em andamento desde o ano passado.

"o mercado de petróleo é mais frágil do que parece", comentou Norbert Rücker, chefe de pesquisa macroeconômica e de commodities do banco suíço Julius Baer. "Os riscos de realização de lucros ainda são grandes (e) o forte aumento da produção desafia a narrativa de aperto do mercado", acrescentou.

Já Nitesh Shah, estrategista de commodities da ETF Securities, mostrou-se cético em relação à previsão de que a demanda possa crescer com a velocidade que a AIE imagina e prevê que o avanço este ano deverá ser, na verdade, de 1,2 milhão de bpd.

"Precisamos de crescimento muito forte na (demanda) para absorver a oferta que vem dos EUA", argumentou Shah.

O relatório da AIE veio um dia depois que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) elevou sua previsão para a produção de óleo de xisto dos EUA, para 5,72 milhões de bpd em 2018, num ajuste para cima de 130 mil bpd. Os contratos futuros de petróleo operam em alta moderada nesta manhã, após exibirem alguma volatilidade nas últimas horas, em meio a novos sinais de que o apetite pela commodity cresce de forma mais rápida do que o esperado.

Às 8h37 (de Brasília), o barril do Brent para maio subia 0,29% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 65,08, enquanto o do WTI para abril avançava 0,48% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 61,25.

Em relatório mensal divulgado mais cedo, a Agência Internacional de Energia (AIE) previu que a demanda global por petróleo irá crescer 1,5 milhão de barris por dia (bpd) em 2018, a 99,3 milhões de bpd, o que representa uma revisão para cima de 90 mil bpd.

A demanda robusta deverá ajudar a compensar o forte avanço na produção de óleo de xisto dos EUA, garantindo o equilíbrio do mercado este ano, segundo a AIE.

Alguns economistas alertam, porém, que o aumento incessante da oferta, em especial dos EUA, continua sendo um fator de risco para o reequilíbrio do mercado, que está em andamento desde o ano passado.

"o mercado de petróleo é mais frágil do que parece", comentou Norbert Rücker, chefe de pesquisa macroeconômica e de commodities do banco suíço Julius Baer. "Os riscos de realização de lucros ainda são grandes (e) o forte aumento da produção desafia a narrativa de aperto do mercado", acrescentou.

Já Nitesh Shah, estrategista de commodities da ETF Securities, mostrou-se cético em relação à previsão de que a demanda possa crescer com a velocidade que a AIE imagina e prevê que o avanço este ano deverá ser, na verdade, de 1,2 milhão de bpd.

"Precisamos de crescimento muito forte na (demanda) para absorver a oferta que vem dos EUA", argumentou Shah.

O relatório da AIE veio um dia depois que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) elevou sua previsão para a produção de óleo de xisto dos EUA, para 5,72 milhões de bpd em 2018, num ajuste para cima de 130 mil bpd.

 

 



Fonte: Dow Jones Newswires, 15/03/2018
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar