acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Internacional

Petróleo opera em baixa, mas em patamar alto com risco geopolítico e após Opep

12/04/2018 | 10h29

Os contratos futuros de petróleo operam em queda na manhã desta quinta-feira, mas ainda próximos de máximas em cerca de três anos, com investidores ainda preocupados de que o crescente risco geopolítico no Oriente Médio possa afetar a oferta. Isso se sobrepõe a outros fatores de mercado, incluindo os dados de produção dos Estados Unidos. O relatório mensal da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), divulgado há pouco, não alterou muito o cenário no mercado.

Às 8h22 (de Brasília), o petróleo WTI para maio tinha baixa de 0,22%, a US$ 66,67 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para junho caía 0,36%, a US$ 71,80 o barril, na ICE. Na quarta-feira, o Brent atingiu máxima desde 2014, a US$ 71,93 o barril, enquanto o WTI tocou mais cedo máxima em mais de três anos, a US$ 67,33.

Os investidores avaliam notícias sobre eventuais ações de países do Ocidente na Síria, bem como relatos de que a Arábia Saudita interceptou um míssil sobre Riad na quarta-feira, o que aumentou o temor de instabilidade regional. Cerca de dois terços das reservas globais de petróleo estão no Oriente Médio.

Analista sênior da consultoria Global Risk Management, Michael Poulsen explica que a Síria em si não é um importante produtor, mas há o medo de que uma escalada na região possa colocar mais produção em risco. Existe ainda a possibilidade de que os EUA voltem a impor sanções contra o Irã, um importante produtor, quando revisar o acordo nuclear internacional com Teerã, em maio.

 

 



Fonte: Dow Jones Newswires, 12/04/2018
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar