acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
EUA

Petróleo opera em baixa após Harvey atingir refino nos EUA, mas gasolina dispara

28/08/2017 | 09h57

Os futuros de petróleo operam em baixa nesta manhã, após a agora tempestade tropical Harvey paralisar quase 15% da capacidade de refino dos EUA e causar prejuízos de extensão ainda desconhecida.

Ainda na forma de furacão, o Harvey atingiu a costa do Texas no sábado (26), causando mortes, graves alagamentos e fechando refinarias, incluindo a unidade da ExxonMobil em Baytown, que é menor apenas que a da Saudi Aramco em Port Arthur. Esta segunda unidade está na trajetória da tempestade.

Petrolíferas ainda tentam avaliar o alcance dos danos, e provavelmente, serão necessários mais alguns dias para que se possa estimar quanto tempo as refinarias ficarão fechadas, segundo Ric Spooner, estrategista da CMC Markets.

O Harvey é o primeiro furacão a atingir refinarias nos EUA desde a ascensão do país como um crescente produtor e exportador de petróleo, de forma que o impacto desta vez deverá ser mais duradouro do que no caso de tempestades anteriores.

Espera-se que a redução da capacidade de refino atinja a demanda da região afetada por petróleo bruto, o que pesa nos futuros da commodity.

Às 7h31 (de Brasília), o barril do petróleo tipo Brent para outubro caía 0,06% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 52,38, enquanto o do WTI para o mesmo mês tinha queda mais expressiva na New York Mercantile Exchange (Nymex), de 1,15% , a US$ 47,32.

Por outro lado, o galão de gasolina para setembro negociado na Nymex subia 3,1% por volta das 6h20 (de Brasília), uma vez que o Harvey comprometeu a produção americana do combustível.



Fonte: Dow Jones Newswires, 28/08/2017
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar