acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mercado

Petróleo não cai mesmo com anúncio da Opep

23/07/2004 | 00h00

A reunião da OPEP que estava agendada para ocorrer nesta quarta-feira (21/07) acabou sendo adiada, mas houve a confirmação de que o aumento da produção do cartel de 500.000 barris/dia ocorrerá no dia 1º de agosto. A expectativa do anúncio influenciou a queda do barril do petróleo WTI (NY) na terça-feira (20/07), sendo que o mercado esperava que houvesse uma queda adicional no dia da reunião, fato que não ocorreu.
O anúncio coincidiu com a divulgação semanal das reservas de petróleo e gasolina dos Estados Unidos que vieram bem abaixo da expectativa do mercado, e com a notícia da possível falência da Yukos (maior petrolífera russa). O pessimismo aumentou ainda mais quando o presidente da OPEP, Purnomo Yusgiantoro, anunciou que os países que compõem o cartel serão incapazes de aumentar novamente suas produções no curto prazo. Além de admitir que o preço do barril continua em um nível muito elevado, e pediu aos demais países produtores de petróleo que também aumentem sua produção para conseguir conter futuros aumentos.
As notícias negativas praticamente neutralizaram a força de baixa criada pelo aumento da produção pela OPEP, criando uma tensão generalizada no mercado em relação a uma possível ruptura no abastecimento para os principais países consumidores de petróleo.
Tendo em vista que o período crítico de consumo nos Estados Unidos é agosto, e que a produção de petróleo mundial continua sendo afetada por eventos como a possível falência da Yukos e da vulnerabilidade da produção de petróleo no Oriente Médio a atentados terroristas, não há nenhuma indicação de estabilização nos preços do barril de petróleo no curto prazo.



Fonte: Global Invest
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar