acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Internacional

Petróleo mantém tendência de máximos históricos

28/07/2004 | 00h00

A redução das exportações russas de petróleo e o prognóstico do governo chinês sobre um incremento na demanda petrolífera exercem pressão sobre os preços do óleo cru. O Brent, o óleo de referência europeu, avança 0,67% até os 38,80 dólares, sua quota mais alta desde princípios de junho, quando marcou máximos desde outubro de 1990. O barril WTI roça o teto histórico.
Em Nova Iorque, o maior mercado petroleiro do mundo, o futuro do óleo cru WTI aumenta "em sua cotação eletrônica 0,98%, até os US$ 42,25. Se poderia especular que na abertura de Wall Street, o contrato "referência energética na América - poderia remontar o máximo marcado de US$ 42,33 dólares, do passado primeiro de junho. O WTI se encontra a menos de 10 centavos de dólar para superar a marca histórica.

Oferta suficiente - A Agência Internacional de Energia (AIE) havia posto suas esperanças na Rússia, como um provedor importante para o mercado energético. Esta indústria no país tem capacidade produtiva e possibilidades de expansiõn, situação que não possuem os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e que limita seu potencial para moderar os preços.
No entanto, a problemática do gigante russo Yukos ocasionou sobressaltos no mercado energético. O Governo confirmou hoje que colocará à venda a Yuganskeneftegaz, a maior unidade produtora da Yukos, para saldar seu passivo fiscal de US$ 3,4 bilhões. A queda estrepitosa da ação na bolsa russa levou à suspensão da cotação.

Demanda crescente - A AIE, a guardiã dos interesses energéticos dos países industrializados, antecipou este mês que a demanda de petróleo cresceria fortemente em 2005, após haver aumentado este ano a seu ritmo mais alto desde 1976. Segundo as cifras, a maior demanda viria da Ásia, em especial da China, e dos Estados Unidos, a locomotiva mundial.
China comunicou hoje que sua demanda de petróleo se incrementaria este ano até os 285 milhões de toneladas e manteria um bom ritmo de crescimento. O drástico incremento da demanda, cujas importações e petróleo tem crescido 40% este ano, obrigou a AIE a revisar para cima suas previsões quase mensalmente.

Yukos a venda - O título da petroleira russa chegou a perder mais de 15% de seu valor nas transações de hoje. A Yuganskneftegaz representa 60% da produção total da Yukos e esta valorada em US$ 200 bilhões de acordo com Goldman Sachs e, além disso, segundo do auditor DeGolyer e MacNaughton, as reservas da unidade contabilizam cerca de US$ 30,4 bilhões.
A Yukos anunciou que deterá parte de suas exportações ante o congelamento de suas contas bancárias por parte do governo russo. Os envios de petróleo que realiza a Yukos por meio de trens serão afetados. Este tipo de envio contabiliza cerca de um quarto do total das exportações do gigante petroleiro.



Fonte: Expansión
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar