acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Preços do Petróleo

Petróleo fecha sem direção definida após dados dos estoques nos EUA

26/10/2017 | 08h56

Os contratos de petróleo fecharam sem direção definida nesta quarta-feira, 25, após o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos divulgar números que mostraram um aumento dos estoques de commodities no país na semana passada.

O petróleo WTI para dezembro fechou em queda de US$ 0,29 (-0,55%), a US$ 52,18 por barril na Nymex. Já na ICE, em Londres, o Brent para o mesmo mês subiu US$ 0,11 (0,18%) e fechou a US$ 58,44 por barril.

Os estoques de petróleo bruto subiram 856 mil barris nos EUA na semana passada, segundo o governo. Esse é o primeiro aumento semanal desde a semana encerrada em 15 de setembro, e analistas e traders consultados pelo Wall Street Journal esperavam que os estoques recuariam em 2,2 milhões de barris, em média.

Os números também mostraram que a produção de petróleo se recuperou e voltou ao nível de antes da temporada de furacões que atingiu o sul do país, de 9,5 milhões de barris por dia.

Mas os dados do DoE também mostraram grandes quedas no fornecimento de gasolina e diesel, que caíram 5,5 milhões de barris e 5,2 milhões de barris, respectivamente. Os números impulsionaram os preços de combustíveis e podem ter limitado o recuo dos contratos de petróleo, segundo o Bob Yawger, chefe da divisão de futuros da Mizuho Securities.

"Não fosse pelo aumento da demanda por produtos refinados, provavelmente veríamos o petróleo significativamente mais barato agora", completou.

Nesta semana, o petróleo vinha se beneficiando de expectativas de interrupção da produção do Curdistão iraquiano, onde há o aumento das tensões após o plebiscito em que os curdos votaram pela independência.

Além disso, Rússia e Arábia Saudita, reiteraram ontem o comprometimento de resolver a questão dos excedentes globais de petróleo e sugeriram que devem estender o acordo de corte de produção liderado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), da qual os sauditas fazem parte.

 



Fonte: Dow Jones Newswires, 26/10/2017
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar