acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Cotação

Petróleo fecha em alta

18/07/2013 | 16h47

 

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta nesta quinta-feira, 18, no maior nível em 16 meses, após dados melhores que o esperado dos EUA fornecerem otimismo à perspectiva econômica.
O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para agosto, ganhou US$ 1,56 (1,46%), fechando a US$ 108,04 o barril, o maior nível desde março de 2012. Na plataforma eletrônica ICE, o barril do petróleo do tipo Brent para setembro teve alta de US$ 0,09 (0,1%) e fechou a US$ 108,70.
Os pedidos de auxílio-desemprego da semana passada, divulgados nesta manhã, ficaram no menor nível desde maio. Além disso, o índice de atividade industrial regional do Meio-Atlântico, medido pelo Federal Reserve da Filadélfia, subiu para 19,8 em julho, de 12,5 em junho, ficando bem acima da previsão dos analistas ouvidos pela Dow Jones, que esperavam recuo para 7,7.
'As pessoas começam a perceber que esta é uma economia que cresce, o que significa maior demanda por petróleo e preços mais altos', disse Carl Larry, da Oil Outlooks and Opinions. Os preços do petróleo entraram em rali em julho, avançando 12% desde o início do mês.

Os contratos futuros de petróleo negociados na New York Mercantile Exchange (Nymex) fecharam em alta nesta quinta-feira (18), no maior nível em 16 meses, após dados melhores que o esperado dos EUA fornecerem otimismo à perspectiva econômica.


O contrato de petróleo mais negociado, com entrega para agosto, ganhou US$ 1,56 (1,46%), fechando a US$ 108,04 o barril, o maior nível desde março de 2012. Na plataforma eletrônica ICE, o barril do petróleo do tipo Brent para setembro teve alta de US$ 0,09 (0,1%) e fechou a US$ 108,70.


Os pedidos de auxílio-desemprego da semana passada, divulgados nesta manhã, ficaram no menor nível desde maio. Além disso, o índice de atividade industrial regional do Meio-Atlântico, medido pelo Federal Reserve da Filadélfia, subiu para 19,8 em julho, de 12,5 em junho, ficando bem acima da previsão dos analistas ouvidos pela Dow Jones, que esperavam recuo para 7,7.


'As pessoas começam a perceber que esta é uma economia que cresce, o que significa maior demanda por petróleo e preços mais altos', disse Carl Larry, da Oil Outlooks and Opinions. Os preços do petróleo entraram em rali em julho, avançando 12% desde o início do mês.

 



Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar