acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Cotação

Petróleo fecha em alta devido à tensão no Oriente Médio

17/02/2011 | 10h36
Os preços do petróleo subiram nesta quarta-feira (16) em Nova York e em Londres, após o surgimento de uma nova frente de tensão geopolítica no Oriente Médio, entre Irã e Israel. No New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do West Texas Intermediate ("light sweet crude") para entrega em março fechou a 84,99 dólares, em alta de 67 centavos em relação à terça-feira (15).
 

Por sua vez, o barril do Brent negociado em Londres alcançou durante a sessão seu mais alto nível desde setembro de 2008, 104,52 dólares, fechando em alta de 2,14 dólares, a 103,78 dólares (+2,1%).


Em um clima geopolítico já tenso, os preços dispararam quando Israel afirmou que o Irã enviou navios de guerra ao Mediterrâneo pelo canal de Suez, manobra que o chanceler israelense, Avigdor Lieberman, chamou de provocação.


"Há muita preocupação com o Oriente Médio", disse Phil Flynn, da PFG Best Research.


De fato, a região é abalada por uma onda de protestos populares contra os regimes autoritários, que se estende agora a vários países produtores de petróleo.


Os movimentos de protesto - que já provocaram a queda dos presidentes da Tunísia e Egito - alcançam a Líbia, além de afetar Bahrein, Iêmen e Irã, onde a situação continua tensa.


Segundo dados da Agência americana de Energia, a produção de petróleo na Líbia alcançava 1,8 milhão de barris diários em 2009.


"Se houvesse uma interrupção da oferta, a Europa seria quase imediatamente afetada", disse Andy Lipow, da Lipow Oil Associates.


Os preços do Brent subiam, consequentemente, mais do que os do petróleo texano negociado no mercado nova-iorquino.


Pelo contrário, nos Estados Unidos, "o nível recorde das reservas mantém o mercado mais calmo", disse Phil Flynn.


O informe semanal do departamento de Energia mostrou que as reservas de petróleo seguiram subindo nos Estados Unidos pela quinta semana consecutiva, embora o aumento tenha sido menor que o esperado.


Fonte: Redação/ Agências
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar