acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mercado

Petróleo atinge maior valor da história nos EUA

18/04/2006 | 00h00

O petróleo atingiu um preço de fechamento recorde em Nova York em meio a preocupações de que o programa nuclear do Irã possa interromper as entregas do país. O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse na semana passada que seu país produziu urânio enriquecido suficiente para abastecer um reator nuclear. Os Estados Unidos dizem que o programa é uma fachada para desenvolver armas nucleares.

O WTI para entrega em maio subiu US$ 1,08 para US$ 70,40 o barril, o maior fechamento desde 1983 em Nova York, quando começou o pregão. O tipo Brent subiu 89 centavos de dólar, fechando a US$ 71,46 o barril em Londres.

O presidente da China, Hu Jintao, disse que sua economia cresceu ao ritmo de 10,2% no primeiro trimestre, mais rápido que o previsto para o país que é o segundo maior consumidor mundial de petróleo. "A situação iraniana não está melhorando e qualquer combinação de eventos poderia levar a uma crise maior", disse Michael Fitzpatrick, vice-presidente na consultoria Fimat em Nova York.

Outra preocupação é a interrupção de mais de 500 mil barris por dia na produção da Nigéria, provocada por ataques de militantes. A Shell informou que ainda espera retornar ao seu campo na plataforma marítima, embora aguardasse que o acesso tivesse ocorrido na semana passada. A revisão seria um passo adiante na recuperação do bombeamento de 115 mil barris diários desse campo, considerado o mais fácil de ser reaberto entre os que foram bloqueados.

Analistas disseram que a perda da produção do petróleo nigeriano de alta qualidade será um problema cada dia maior diante da proximidade da temporada de maior uso de combustível para motores nos Estados Unidos, que começa em maio. "O petróleo nigeriano é particularmente solicitado pelos refinadores durante a primavera e o verão devido ao seu rendimento mais alto para a gasolina", afirmou Mike Wittner, do banco de investimentos Calyon.



Fonte: Valor Econômico /ag
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar