acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
EUA

Petróleo amplia perdas com avanço nos estoques dos EUA e dólar forte

01/03/2018 | 16h38

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa nesta manhã, ampliando perdas de mais de 2% da sessão anterior, após dados oficiais mostrarem avanço maior do que se previa nos estoques dos EUA. A valorização do dólar também pesa nos preços da commodity.

Às 8h55 (de Brasília), o barril do Brent para maio caía 0,94% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 64,12, enquanto o do WTI para abril recuava 0,86% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 61,11.

Pesquisa do Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano, divulgada ontem, estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA teve alta de 3 milhões de barris na semana passada. O DoE também apontou expansão nos estoques de gasolina, de 2,5 milhões de barris.

"O relatório semanal (do DoE) foi tudo, menos positivo", comentou Tamas Varga, analista da corretora PVM.

O aumento nos estoques de gasolina foi atípico para esta época do ano, uma vez que estoques de combustíveis não costumam crescer no atual período de manutenção.

"A (taxa de) utilização nas refinarias ainda é baixa, então deveríamos estar vendo estoques menores, mas ainda não há demanda forte", disse Ehsan Ul-Haq, diretor de petróleo bruto e produtos refinados da Resource Economist, acrescentando que as importações de gasolina também foram baixas.

As cotações do petróleo também foram pressionadas pela informação do DoE de que a produção dos EUA atingiu novo recorde de 10,283 milhões de barris por dia na última semana.

A Agência Internacional de Energia (AIE) prevê que os EUA irão superar a Rússia como maior produtor mundial de petróleo até 2019, em meio à forte expansão da indústria americana de óleo de xisto.

Outro fator que pesa no Brent e no WTI hoje é o dólar, que se fortalece nos negócios da manhã em relação a outras moedas principais, à espera de novos comentários do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Jerome Powell, no Senado americano, a partir das 12h (de Brasília).

 

 



Fonte: Dow Jones Newswires, 01/03/2018
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar