acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Mercosul

Petroleira uruguaia não vai subir os preços na Argentina

14/03/2005 | 00h00

A petroleira estatal uruguaia, Sol Petróleo, retrocedeu no aumento de preços impostos ao combustível na Argentina, seguindo o exemplo da Shell e da Esso, algumas horas antes.
De acordo com o comunicado oficial no domingo (13/03), o presidente uruguaio Tabaré Vasquez decidiu revogar o aumento depois que o governo argentino anunciou que estaria considerando a imposição de sanções às empresas de petróleo que aumentassem seus preços. A administração de Vasquez decidiu rescindir o acréscimo nos preços como parte de um acordo de cooperação entre os países, disse o porta-voz da Sol.
A Sol havia seguido a companhia norte-americana Esso em proceder com o reajuste anunciado pela anglo-holandesa Shell na quarta-feira. O aumentou impulsionou o presidente argentino, Néstro Kirchner a chamar a população para um boicote nacional contra a companhia e associações fizeram bloqueio de acesso a postos de gasolina da Shell.
Os aumentos da Sol, que funcionaram por algumas horas, estavam entre 2% e 4%, enquanto os da Esso, ainda com efeito, foram entre 2,1% e 3,5%.
Na manhã de sábado, a espanhola Repsol-YPF se reuniu à brasileira Petrobras reafirmando que não vai subir os preços dos combustíveis.
Na quarta-feira, a Shell anunciou que aumentaria os preços entre 2,6% e 4,2%, "estritamente em resposta ao fatores do mercado global".
Em um comunicado no sábado, a Esso disse que "aumenta os preços depois de manter os preços baixos por mais de sete meses", e que o aumento foi baseado no impacto das forças do mercado global e o preço do petróleo cru, que está próximo ao seu recorde de alta.



Fonte: Mercopress (Uruguai)
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar