acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Combustíveis

Petrobras se mobiliza para que não haja desabastecimento

05/09/2012 | 12h59

 

A Petrobras vai modificar seus contratos de venda de combustíveis com os distribuidores já em setembro para evitar falta de produtos nos postos, como aconteceu com o diesel no final de agosto.
Em reunião na segunda-feira (3), na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Petrobras e distribuidores chegaram a um acordo para que a demanda fique mais alinhada com a oferta, informou o diretor da autarquia Allan Kardec.
"Antes, a previsibilidade ficava em aberto, agora, se o distribuidor errar no pedido, vai pagar multa", disse.
No caso da demanda do distribuidor ser maior do que o volume solicitado inicialmente, o adicional será acrescido de um prêmio. No caso de uma demanda menor, o distribuidor pagará pela diferença. "Com isso, a Petrobras evita ter que importar ou produzir mais do que o necessário", explicou Kardec.
A Petrobras e o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom) vêm se reunindo para dar maior segurança ao abastecimento de diesel no país, informou o presidente do Sindicom, Aluísio Vaz. No fim de agosto, o produto chegou a faltar em postos do Paraná e Rio, disse.
A Petrobras informou que o abastecimento está normal no país. Houve problema pontual apenas no ES, já solucionado, afirmou em nota.

A Petrobras vai modificar seus contratos de venda de combustíveis com os distribuidores já em setembro para evitar falta de produtos nos postos, como aconteceu com o diesel no final de agosto.


Em reunião na segunda-feira (3), na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Petrobras e distribuidores chegaram a um acordo para que a demanda fique mais alinhada com a oferta, informou o diretor da autarquia Allan Kardec.


"Antes, a previsibilidade ficava em aberto, agora, se o distribuidor errar no pedido, vai pagar multa", disse.


No caso da demanda do distribuidor ser maior do que o volume solicitado inicialmente, o adicional será acrescido de um prêmio. No caso de uma demanda menor, o distribuidor pagará pela diferença. "Com isso, a Petrobras evita ter que importar ou produzir mais do que o necessário", explicou Kardec.


A Petrobras e o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom) vêm se reunindo para dar maior segurança ao abastecimento de diesel no país, informou o presidente do Sindicom, Aluísio Vaz. No fim de agosto, o produto chegou a faltar em postos do Paraná e Rio, disse.


A Petrobras informou que o abastecimento está normal no país. Houve problema pontual apenas no ES, já solucionado, afirmou em nota.

 



Fonte: Folha de São Paulo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar