acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Geração

Petrobras quer vender mais gás para térmicas

21/05/2004 | 00h00

A Petrobras aposta no crescimento das vendas de gás natural para a geração termelétrica de energia. De acordo com o Plano Estratégico Petrobrás 2015, que apresenta as metas para as atividades da estatal até o ano de 2010, a expectativa é a de que as vendas de gás para termelétricas cresça quase 317%, saltando dos atuais 6,5 milhões de metros cúbicos por dia para 27,1 milhões.
Essa expansão supera a previsão de aumento de 152,7% do mercado do gás natural no período dos 30,7 milhões de metros cúbicos por dia negociados atualmente para 77,6 milhões em 2010. Também é superior à expectativa de crescimento das vendas de gás natural para a indústria no período, de 19,6 milhões para 36,7 milhões de metros cúbicos/dia, um aumento de 87,2%.
Segundo os números do plano, apresentados na última terça-feira pelo presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, a área de gás natural receberá, de 2004 a 2010, investimentos de US$ 6,1 bilhões, 11% do valor total previsto pela estatal para o período. Desse total, mais de US$ 3 bilhões serão destinados ao desenvolvimento do mercado de gás natural, o que compreende a construção da malha de gasodutos no Nordeste, da malha do Sudeste, do gasoduto Sudeste-Nordeste (Gasene), que integrará as redes das duas regiões, do gasoduto Urucu-Coari-Manaus, e do gasoduto Campinas-Rio de Janeiro.
A Petrobras prevê também, até 2010, realizar investimento superior a US$ 1 bilhão na geração de energia elétrica, que será destinado prioritariamente a projetos em andamento. A estatal trabalha com a meta de implantar uma capacidade instalada de 5.044 m egawatts (MW) em projetos de termelétricas e co-geração.
A estatal brasileira tem como meta também destinar cerca de US$ 260 milhões, entre 2004 e 2010, a projetos de fontes renováveis de energia.



Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar