acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
E&P

Petrobras quer explorar mar da Argentina

09/06/2004 | 00h00

A Petrobras solicitou ao governo argentino permissão para realizar pesquisas geológicas no litoral da província de Buenos Aires, na tentativa de realizar pela primeira vez no país exploração de petróleo em águas profundas.
A empresa pretende efetuar os estudos em dois blocos de 10 mil km2 cada um, a 150 km da costa argentina, entre as cidades de Mar del Plata e Bahía Blanca, e a 3 mil metros de profundidade. O governo ainda não deu resposta ao pedido, mas fontes da Petrobras disseram estar otimistas devido à posição de liderança da empresa nesta modalidade de exploração.
No mês passado, o governo argentino anunciou a criação da Enarsa, uma empresa estatal de energia que teria como um de seus objetivos buscar petróleo nas poucas áreas cujos direitos de exploração ainda pertencem ao Estado, basicamente na costa do país. Com a privatização da antiga estatal de petróleo YPF, no início da década passada, todas as áreas terrestres onde há petróleo foram entregues a empresas privadas, e essas concessões vencem apenas a partir de 2015. Os poços localizados na costa argentina são extensões da exploração de jazidas encontradas em terra firme.
Apesar da intenção do Estado de voltar a atuar na exploração petrolífera, fontes da estatal brasileira disseram que o projeto não contempla, ao menos em um primeiro momento, a participação da Enarsa, embora a Petrobras não descarte que no futuro possa buscar parcerias com esta e outras companhias.
Uma fonte da Petrobras disse ao Valor que a companhia vê o projeto na costa argentina como uma iniciativa de longo prazo, e não há expectativa de obter algum tipo de retorno em menos de cinco anos. A empresa não quis informar quanto espera gastar no projeto.
Salvo tome a decisão política de resguardar a área para a Enarsa, a lógica é que a companhia brasileira receba a autorização do governo argentino para iniciar as pesquisas. Isso porque o país vive hoje uma crise energética, tem grande interesse em estimular investimentos nesta área e não detém tecnologia de exploração de petróleo em águas profundas.
Além disso, por enquanto a criação da Enarsa teve apenas impacto político. Suas reais possibilidades de atuação e, principalmente, de onde virão seus recursos são questões que ainda não foram respondidas.
Já a estatal brasileira conta com tecnologia e recursos para levar a cabo o projeto. ´´São iniciativas caras e arriscadas, mas desenvolver novas fronteiras no mar será sem dúvida um dos grandes desafios para a Argentina´´, disse ao jornal argentino ´´El Cronista´´ o diretor executivo da Petrobras Energia, Alberto Guimarães. Ele anunciou o interesse da empresa em explorar petróleo no mar argentino na segunda-feira, durante o lançamento pela companhia da nova gasolina de alta octanagem Podium.
Com o novo combustível, Guimarães afirmou que a empresa pretende ampliar de 6% para 10% sua participação no mercado de gasolina premium. A Petrobras Energia, que ingressou no mercado local em 2002 por meio da compra da argentina Pecom, tem hoje uma rede de 215 postos de gasolina em todo o país e sua intenção é, até o final deste ano, ampliar esse número para 350.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar