acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Comunicado

Petrobras presta esclarecimentos sobre a plataforma Cherne II

11/02/2011 | 11h27
A Petrobras divulgou nota nesta sexta-feira (11) informando que foi surpreendida hoje, por um laudo da Superintendência Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (SRT/RJ) para a interdição da plataforma de Cherne II, na Bacia de Campos.

 
A estatal reafirmou no comunicado que a plataforma encontra-se em condições operacionais seguras para a integridade dos trabalhadores, do meio ambiente e das instalações da unidade.

 
Segundo a companhia, Cherne II já havia sido vistoriada pela Marinha do Brasil no dia 1º de fevereiro e liberada para suas operações normais. A Marinha vistoriou e aprovou o sistema de combate a incêndio da unidade, reconhecendo a capacidade da Companhia na atuação em situações de emergência.

 
"A plataforma está dotada de vários kits para emergências com barreiras de contenção, capacetes e roupas especiais (kit sopep). Esse equipamento de segurança é obrigatório na indústria de petróleo para operações no mar e é exigido e fiscalizado também pela Marinha. O sistema de iluminação de emergência está operacional. O mesmo acontece em relação ao ar condicionado, que esteve paralisado para manutenção regular durante seis horas ontem, mas que já opera normalmente", consta na nota.

 
Ainda de acordo com o Petrobras, todos os equipamentos fundamentais que garantem a segurança das pessoas e da operação de Cherne II estão de acordo com as exigências normativas da NR-10, assim como todos os treinamentos previstos e os equipamentos de proteção coletiva (EPC) estão atendidos.

 
A estatal indicou que nenhum dos pontos levantados pelo Sindicato e pela SRT/RJ representa risco que justifique a interrupção da operação da plataforma. Eles já faziam parte da relação de itens que serão verificados durante a parada de manutenção, que será realizada no final de fevereiro, segundo programação feita em novembro de 2010.

 
Apesar dessa opinião, a Petrobras informa que, cumprindo a exigência do laudo de interdição, iniciou os procedimentos técnicos para paralisar o funcionamento da plataforma, seguindo os padrões internacionais de segurança operacional e está analisando as medidas legais cabíveis.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar