acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Projeto

Petrobras pode entrar na produção de álcool combustível

18/01/2007 | 00h00

 

A Petrobras estuda a possibilidade de produzir álcool combustível a partir da cana-de-açúcar, em resposta à crescente demanda, disse, ontem o gerente executivo de Marketing e Negócios, Nilo Carvalho Vieira Filho. "Ainda não existe decisão formal do conselho da Petrobras. Estamos estudando a  possibilidade." A Petrobras já atua no transporte e distribuição do álcool para os mercados interno e externo.

Carvalho disse que a Petrobras busca tirar vantagem da crescente demanda internacional por fontes alternativas de energia. Ele lembrou que, desde a crise nos preços do petróleo na década de 70, a empresa esteve envolvida no desenvolvimento do álcool, inicialmente para o consumo interno.

"O Brasil possui tempo favorável, a tecnologia e os menores custos de produção. Estamos procurando novos clientes, abrindo novas fronteiras globais", afirmou ele.

Carvalho disse que a Japan Ethanol Trading, uma joint-venture fifty-fifty entre a Petrobras e uma trading japonesa estatal, está desenvolvendo o mercado japonês de etanol. Comentando uma reportagem da Reuters de Tóquio, sobre as importações japonesas de ETBE da França para misturar com a gasolina, Carvalho disse que este fato não excluía o álcool brasileiro, pois a demanda de energia é muito alta.

A Petrobras já está exportando álcool para a Venezuela e espera comercializar o combustível com a Nigéria e com os países da Escandinávia neste ano. "Todos os dias recebemos interesse de compra de novos países", acrescentou.

A companhia também está oferecendo assistência técnica para o uso do etanol, em acordos com a África do Sul, Venezuela e a Nigéria. Os Estados Unidos possuem capacidade para encontrar suas próprias soluções, mas a Petrobras possui longa experiência com o etanol combustível e ela está disponível, caso isso seja necessário, disse Carvalho. Segundo ele, a Petrobras poderia mostrar como o mesmo duto poderia ser usado para transportar gasolina e etanol.



Fonte: Jornal do Commercio
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar