acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia Nova

Petrobras negocia gás natural para termelétricas a partir de 2010

26/07/2007 | 00h00
Porém, para garantir essas condições a Petrobras terá de adquirir Gás Natural Liquefeito (GNL) no mercado internacional, e como a programação do GNL no mercado internacional não acontece com a mesma antecedência da programação da usina, o suprimento em questão está condicionado à criação de regulamentação específica.





Esta regulamentação, explica a estatal, está sendo estudada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), sob a coordenação do Ministério de Minas e Energia.





Enquanto não é criada uma regulamentação específica, para que os agentes possam participar do leilão A-3, a Petrobras se dispõe a absorver os riscos decorrentes do descasamento da programação, cobrando, além dos custos da importação do GNL e seu transporte em território nacional, uma taxa da ordem de US$ 1,90/ por MMBtu (milhão de BTU).





Esta taxa cobre também o descasamento entre o elevado nível de penalidade estabelecido pela regulamentação brasileira, no caso de falha de fornecimento de gás natural para as termelétricas, e as penalidades previstas nos futuros contratos de importação de GNL.

Fonte: Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar