acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Investimentos

Petrobras injetará US$ 994 milhões no Espírito Santo em 2005

24/01/2005 | 00h00

A Petrobras planeja investir R$ 2,7 bilhões de reales (US$994mn) no estado do Espírito Santo para desenvolver projetos de produção petrolífera e gasífera, disse à BNmericas uma fonte da companhia, confirmando as informações da imprensa local. 
Os projetos implicam no desenvolvimento de campos onshore e offshore e das bacias do Espírito Santo e Campos, revelou o funcionário, acrescentando que o montante que se investirá este ano representa cerca de 40% dos custos totais dos quatro projetos principais da região.
Em 2004, a companhia gastou R$ 1,8 bilhão no estado do Espírito Santo, se lê no diário Gazeta de Vitória.
A Petrobras planeja concluir em junho o recondicionamento da embarcação flutuante de produção, armazenamento e descarga (FPSO) P-34, que se utilizará para produzir 60 mil barris por dia (b/d) de petróleo no campo Jubarte, situado na bacia de Campos, em frente às costas do sul do Espírito Santo.
Quando começou a primeira fase do projeto, já há alguns anos, este se calculou em US$ 230 milhões. A segunda fase implica a construção da plataforma P-57, que entraria em operação em 2010, acrescentou o funcionário.
No que diz respeito à bacia do Espírito Santo, situada em frente à costa norte do Estado, a Petrobras concluirá o desenvolvimento do campo Peroá, uns 57 Km offshore. Em junho, a plataforma inabitada fixa PPR-1 começará sua produção e a planta de tratamento de gás situada em Cangoá, também iniciará suas operações, disse a fonte.
Todo o projeto Peroá-Cangoá começou em 2003 e está calculado em US$ 278 milhões, o que inclui os emissários submarinos que se conectam à plataforma.
 Ainda na bacia do Espírito Santo, a Petrobras planeja contratar a FPSO Capixaba para começar a produzir petróleo no campo de gás natural e de petróleo leve mais proeminente da região, o de Golfinho, até meados de 2006 e expandir a unidade de tratamento de gás de Cacimbas. Se espera que o produto tenha um custo de US$ 96 milhões, informou a fonte.
A Petrobras também contempla a possibilidade de contratar uma segunda FPSO para Golfinho, começando com as operações em maio de 2007.
Por último, a companhia espera iniciar as operações do sistema do terminal Capixaba em meados do ano, o que inclui um emissário que levara o petróleo quente ultra pesado desde o campo onshore de Fazenda Alegre até um terminal flutuante offshore. Desde aí, os barcos podem carregar o combustível para levar-lo a Lubinor, planta de lubrificantes da Petrobras, situada no estado do Ceará, no nordeste do país.
A Petrobras atualmente produz cerca de 40 mil barris por dia no estado do Espírito Santo, dos quais 50% provêm do campo Jubarte. No total, a companhia produz cerca de 2 milhões de barris por dia de petróleo equivalente, ou 1,5 milhões de barris por dia de petróleo.



Fonte: BNamericas
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar