acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pernambuco e Sergipe

Petrobras inicia obras da Refinaria Abreu e Lima e batiza Plataforma de Piranema

04/09/2007 | 00h00
Além do presidenbte da República, a cerimônia de início das obras da Refinaria Abreu e Lima contará com as presenças do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, e do diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa.



As obras da refinaria Abreu e Lima serão iniciadas com os trabalhos de terraplenagem do local. A nova unidade utilizará petróleo pesado do Brasil e da Venezuela, países com grandes reservas desse tipo de óleo. Com capacidade para processar 200 mil barris de petróleo por dia, ela deverá produzir, anualmente, cerca de 814 mil m³ de nafta de petroquímica, 322 mil toneladas de GLP (gás de cozinha), 8,8 milhões de toneladas de diesel e 1,4 milhão de toneladas de coque de petróleo.



A nova refinaria tem como foco a produção de óleo diesel, principalmente para atender o crescimento da demanda de derivados no Nordeste, hoje deficitário em combustíveis. A unidade será a primeira a processar 100% de petróleo pesado. Além disso, a Refinaria Abreu e Lima terá capacidade para produzir derivados com baixo teor de enxofre, podendo atender até aos padrões europeus, que especificam um limite máximo de 10 ppm de enxofre.



Plataforma de Piranema terá tecnologia pioneira no mundo



A plataforma que vai operar no campo de Piranema, em Sergipe, afretada à norueguesa Sevan Marine, é um projeto pioneiro no mundo pelas características técnicas inéditas numa unidade do tipo FPSO (que produz, armazena e transfere petróleo). Tem casco redondo, ao contrário das plataformas flutuantes tradicionais, que normalmente resultam da transformação de um navio petroleiro em unidade de produção. É mais versátil e estável, podendo operar em condições ambientais mais severas. Além disso, o óleo de Piranema será o mais leve (44 API) entre produzidos em águas profundas no Brasil.



Este será o primeiro projeto de produção em águas profundas - entre 1.000 e 1.500 metros - no Nordeste. Os investimentos no desenvolvimento do projeto, que iniciará a produção até o final do ano, chegaram a R$ 2,4 bilhões. A plataforma de Piranema está ancorada a aproximadamente 25 Km da costa sergipana. Ela produzirá, inicialmente, 10 mil barris diários de petróleo, podendo chegar a 30 mil em 2008. Até 2018, a produção acumulada deverá chegar a 30 milhões de barris.

Fonte: Da redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar