acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Pesquisa e Inovação

Petrobras e UFRN inauguram planta piloto para cultivo de microalgas para biodiesel

04/04/2012 | 09h33
Petrobras e UFRN inauguram planta piloto para cultivo de microalgas ... Petrobras e UFRN inauguram planta piloto para cultivo de microalgas ...
A Petrobras e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte inauguraram na terça-feira (3) a planta piloto de cultivo de microalgas para produção de biodiesel. O empreendimento, localizado na cidade de Extremoz (RN), permitirá o avanço nas pesquisas - realizadas até agora apenas em laboratórios - sobre o potencial das microalgas como nova alternativa de suprimento para biodiesel.
 
A solenidade teve a presença do presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, e do gerente Geral de Pesquisa e Desenvolvimento de Abastecimento e Biocombustíveis, Alípio Ferreira Junior, além de representantes da universidade.

“A produção de microalgas é um dos projetos de pesquisa prioritários da Petrobras, em razão da sua potencialidade de produção, atuando também na absorção de CO2 e na limpeza da água. Esse projeto coloca a Petrobras na vanguarda das pesquisas de renováveis na América Latina”, explicou Miguel Rossetto, presidente da Petrobras Biocombustível.

Os executivos visitaram a planta e conheceram as instalações que contam com tanques abertos cuja capacidade é de quatro mil litros e nos quais as microalgas serão cultivadas. Dessa forma, será possível incrementar os estudos sobre a produtividade das microalgas e do seu teor de óleo nas condições climáticas do estado, região propícia ao cultivo desses organismos.

O projeto identificou cerca de 10 espécies de microalgas capazes de crescer em água de produção de petróleo, uma vez que elas serão cultivadas nesses tanques. Segundo os pesquisadores, as microalgas têm potencial de produção de óleo superior ao das oleaginosas típicas para biodiesel. Outra característica relevante é que "seqüestram" carbono com taxa mais elevada que vegetais.

“Esta inauguração é um momento muito feliz para todos nós que trabalhamos com inovação. Hoje, ao inaugurar a planta que representa a saída do projeto do laboratório, estamos virando uma página e ganhando condições mais próximas da realidade”, afirmou Alípio Ferreira Junior, gerente geral do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes).

O projeto faz parte das Redes Temáticas, programa criado pela Petrobras em 2006, voltado para o relacionamento com as universidades e institutos de pesquisas brasileiros. Hoje já há 50 redes que abrangem mais de 100 universidades e instituições de pesquisas de todo o Brasil.

Nas redes, as instituições desenvolvem pesquisas em temas estratégicos para o negócio da Petrobras e para a indústria brasileira de energia. Desde 2006, a Petrobras investiu mais de R$ 3 bilhões em universidades e instituições nacionais de ciência e tecnologia, possibilitando às instituições conveniadas a implantação de infraestrutura, aquisição de modernos equipamentos, criação de laboratórios de padrão mundial de excelência, capacitação de pesquisadores/recursos humanos e desenvolvimento de projetos de Pesquisa & Desenvolvimento nas áreas de interesse, como petróleo e gás, biocombustíveis e preservação ambiental.


Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar