acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

Petrobras diz que P-62 iniciou opreação com segurança

17/02/2014 | 11h39

 

A Petrobras divulgou nota na última sexta-feira (14) informando que iniciou a operação da P-62 em segurança e com todas as licenças necessárias de autoridades competentes. A companhia também informou que foi adiada a previsão de início da produção da unidade, instalada no campo de Roncador, para o segundo trimestre deste ano.
O chamado "primeiro óleo" estava previsto anteriormente para 31 de março. Reportagem do jornal 'O Estado de S.Paulo' mostrou que a Petrobras inaugurou a plataforma sem itens considerados essenciais por operários e está finalizando serviços em alto mar, com maiores custos e lentidão para a empresa.
Segundo a nota, é normal que durante a viagem o FPSO (navio que produz, armazena e transfere petróleo) sofra esforços estruturais, demandando serviços para ajustes finais. "Também é normal e dentro do previsto a realização de trabalhos de verificação da estanqueidade das tubulações e de comissionamento para início da operação com óleo e gás. Além disso, há os trabalhos de ancoragem do FPSO e de interligação das tubulações aos poços, que só podem ser executados na locação final", diz a nota.

A Petrobras divulgou nota na última sexta-feira (14) informando que iniciou a operação da P-62 em segurança e com todas as licenças necessárias de autoridades competentes. A companhia também informou que foi adiada a previsão de início da produção da unidade, instalada no campo de Roncador, para o segundo trimestre deste ano.

O chamado "primeiro óleo" estava previsto anteriormente para 31 de março. Reportagem do jornal 'O Estado de S.Paulo' mostrou que a Petrobras inaugurou a plataforma sem itens considerados essenciais por operários e está finalizando serviços em alto mar, com maiores custos e lentidão para a empresa.

Segundo a nota, é normal que durante a viagem o FPSO (navio que produz, armazena e transfere petróleo) sofra esforços estruturais, demandando serviços para ajustes finais. "Também é normal e dentro do previsto a realização de trabalhos de verificação da estanqueidade das tubulações e de comissionamento para início da operação com óleo e gás. Além disso, há os trabalhos de ancoragem do FPSO e de interligação das tubulações aos poços, que só podem ser executados na locação final", diz a nota.

 



Fonte: Agência Estado
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar