acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Refino

Petrobras disputa leilão na Colômbia

25/08/2006 | 00h00

A estatal colombiana Ecopetrol abre hoje os envelopes com as propostas da Petrobras e da suíça Glencore, que disputam a entrada como sócias na expansão da refinaria de Cartagena, que atualmente é controlada pelo governo daquele país. João Carlos Araújo Figueira, gerente executivo da Petrobras, responsável pelas Américas, África e Eurásia, disse que é grande a expectativa com relação ao resultado dessa concorrência.

Hoje pela manhã serão abertos três envelopes. Um da Petrobras, outro da Glencore e o da Ecopetrol, onde ela informa o preço mínimo estabelecido para a refinaria. Quem apresentar a melhor proposta financeira se tornará sócio majoritário de uma nova companhia que será criada, da qual a Ecopetrol terá 49% e dará como ativo a refinaria de Cartagena. Se as ofertas das duas proponentes para aquisição dos outros 51% tiverem diferença de preço até 5%, será considerado empate. Nesse caso a Petrobras e a Glencore terão uma hora para apresentar novas propostas.

O dinheiro que virá do novo sócio será investido na modernização e expansão da refinaria de Cartagena. O governo da Colômbia já tem um projeto de modernização da unidade definido pelo Conselho Nacional de Política Econômica e Social (Conpes), ligado ao ministério do Planejamento. A configuração do projeto prevê investimentos de US$ 806 milhões. O novo investidor pode mudar a configuração do projeto.

A Colômbia quer aumentar a capacidade de processamento da refinaria de Cartagena dos atuais 70 mil para 140 mil barris/dia, reduzir o percentual de enxofre da gasolina e diesel produzidos no país e, ainda, manter a produção de correntes (derivados de petróleo) de modo a atender a demanda da indústria petroquímica. A unidade tem acesso ao mar do Caribe e à rede de dutos que liga a região ao resto do país. Pode exportar cerca de 89,5 mil barris por dia de produtos, sendo uma parte usando infra-estrutura do Complexo Industrial de Barrancabermeja.

O gerente geral da Petrobras na Colômbia, Dirceu Abrahão, explicou que se a ganhar a concorrência, a Petrobras pretende refinar naquele país petróleo pesado brasileiro. Segundo ele, a Petrobras planeja continuar exportando o petróleo já produzido no país, de 18,8 mil barris por dia em agosto. "O petróleo daqui é produzido em outra região, e é exportado através de dutos da qual a Petrobras é sócia", disse Abrahão.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar