acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Gas natural

Petrobras construirá, até 2007, sete gasodutos que vão duplicar sua rede

02/05/2005 | 00h00

A Petrobras dará início, no começo do segundo semestre, às obras de construção de sete gasodutos. Ao todo, serão cerca de 3.120 quilômetros de extensão no Sudeste e Nordeste, que fazem parte do programa Projeto Malhas. Todo este conjunto de gasodutos, que vai dobrar a atual rede da Petrobras, de 2.850 quilômetros, possibilitará o aumento da oferta (e também do consumo) de gás natural no país.
O diretor de Gás e Energia da Petrobras, Ildo Sauer, destaca que serão gastos nas obras aproximadamente US$ 2,6 bilhões (R$ 6,57 bi) e gerados 200 mil empregos diretos e indiretos. Por sua vez, a existência dos gasodutos vai desencadear mais US$ 3 bilhões em investimentos, por parte de outras empresas. E gerar 250 mil vagas permanentes diretas e indiretas.

Rede de gasodutos entrará em operação em 2007

As obras se concentrarão em 2005 e 2006, uma vez que a nova rede de gasodutos deve entrar em operação em 2007. Sauer destaca que o Projeto Malhas pretende ampliar o consumo do gás natural tanto nas indústrias quanto no comércio e nas residências:
- Com os preços do petróleo aumentando, o gás se torna cada vez mais competitivo.
A Petrobras espera aumentar o consumo do gás natural (sem considerar o usado em suas atividades) de 35 milhões de metros cúbicos ao dia para 77,6 milhões de metros cúbicos em 2010 e cem milhões de metros cúbicos em 2015. No longo prazo, estudos indicam que o impacto da malha pode variar de US$ 4,2 bilhões a US$ 4,8 bilhões, 0,5% do PIB.
Um dos projetos mais importantes é o Gasene, que ligará as malhas sudeste e nordeste. O gasoduto, com 1.365 quilômetros tem três trechos: de Cabiúnas (RJ) a Vitória (ES), de lá a Cacimbas (ES), e daí a Catu (BA). E terá capacidade para transportar até 20 milhões de metros cúbicos de gás ao dia.
"A interligação resolverá o problema de falta de gás natural no Nordeste", disse Sauer.
O diretor destaca a atratividade que terá o gás natural em relação aos outros combustíveis. Segundo ele, o gás natural custa US$ 3 por milhão de BTUs (British Thermal Unit, unidade de medida do gás natural). Por sua vez, o custo do óleo combustível é de US$ 6 BTUs; o do óleo diesel, US$ 10; e o da gasolina, US$ 12.
As distribuidoras de gás canalizado estão otimistas, mas preocupadas com o Projeto Malhas. O presidente da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), Romero Oliveira, destacou que o programa precisa ser desenvolvido de forma integrada, com participação dos governos federal, estaduais e municipais. Para dar mais segurança aos investimentos.
No Nordeste, o projeto prevê a construção do Gasfor II, do Rio Grande do Norte ao Ceará. O Nordestão II ligará Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. E há também o gasoduto de Catu (BA) a Pilar(AL). Além do Projeto Malhas, a Petrobras planeja construir dois gasodutos na Região Norte.



Fonte: O Globo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar