acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Trajetória de sucesso

Petrobras comemora 55 anos como destaque entre as petrolíferas mundiais

03/10/2008 | 09h29
Petrobras comemora 55 anos como destaque entre as petrolíferas mundiais
Petrobras comemora 55 anos como destaque entre as petrolíferas mundiais Petrobras comemora 55 anos como destaque entre as petrolíferas mundiais

Este valor poderá ser elevado com a revisão do Planejamento Estratégico 2020, ainda não finalizado, e que vai incluir investimentos para a área do pré-sal, novas refinarias, plantas de biocombustíveis, petroquímica e fertilizantes e expansão da infra-estrutura de abastecimento de gás natural e derivados de petróleo. São, em sua maioria, projetos estruturantes, cuja repercussão multiplicadora envolve a abertura de oportunidades de trabalho em vários segmentos da economia e em diversas regiões do País. 

 

No ano em que começou a operar (1954) eram apenas 2.700 barris de petróleo por dia, 170 mil barris de reservas e uma refinaria na Bahia. Hoje, são produzidos 2,4 milhões de barris de petróleo e gás diários (2,2 milhões no Brasil e 200 mil no exterior), 15 bilhões de barris de  reservas no Brasil e no exterior (sem contar as descobertas do pré-sal) e 15 refinarias (11 no Brasil e 4 no exterior).

 

Nestes 55 anos, o volume de petróleo descoberto pela Petrobras permitiu uma produção acumulada, no Brasil, de 10,2 bilhões de barris de petróleo e ainda deixar, para produção futura, reservas provadas dos campos nacionais de 12 bilhões de barris. De 1998 até agosto de 2008 foram pagos pela Petrobras à União, estados e municípios cerca de R$ 93 bilhões em royalties e participação especial pela produção.

 

Empreendimentos

 

Nos últimos cinco anos a Petrobras retomou as encomendas de contratações de plataformas e navios no Brasil, o que permitiu o renascimento da indústria naval brasileira. Os planos da companhia apontam para a continuação destes grandes desafios, como a construção de cinco refinarias; o aumento da produção de petróleo e gás natural, no Brasil e no exterior, para 3,494 milhões de barris equivalentes em 2012 (também sem as descobertas do pré-sal); encomenda de 63 sondas de perfuração marítima; plataformas de produção; encomendas de 234 navios petroleiros e barcos de apoio (alguns já licitados e outros a licitar) para suportar as operações de exploração e produção no mar e de quatro mil quilômetros de novos gasodutos para levar gás natural a todo o Brasil, entre outros empreendimentos em suas diversas atividades, no Brasil e no exterior.


Os resultados econômico-financeiros e operacionais demonstram que a Petrobras, mesmo no cenário ultra-competitivo dos últimos 10 anos, continuou sua tendência de crescimento. O lucro passou de US$ 1,533 bilhão, em 1997, quando foi flexibilizado o monopólio estatal do petróleo no Brasil, para US$ 21,512 bilhões em 2007, indicando um aumento de 1.330%. O índice de sucesso exploratório da companhia, no ano passado, foi de 59%, uma vez que, dos 109 poços exploratórios perfurados, 64 encontraram petróleo ou gás natural. Este índice é muitas vezes superior à média mundial.

 

Um resumo dos números de suas atividades indica que a companhia opera 14 mil poços de petróleo e gás, 109 plataformas de produção, 23 mil quilômetros de dutos, quase 100 navios petroleiros (próprios e afretados), 51 terminais marítimos fluviais e lacustres, 15 refinarias (11 no Brasil e 4 no exterior), 16 usinas termelétricas, duas plantas de fertilizantes e 87 mil postos de serviço.

 

As reservas combinadas de petróleo e gás no Brasil, que eram de 8,5 bilhões de barris em 1997, cresceram 76%, chegando a 13,9 bilhões de barris de óleo equivalente, uma performance superior à média mundial. Além do aumento das reservas, a companhia vem batendo vários recordes de perfuração e produção, o que tem sido fundamental para o posicionamento do Brasil como uma das mais importantes frentes da indústria do petróleo. Hoje a produção de petróleo da Petrobras no Brasil é superior à demanda nacional e à nossa capacidade de refino, numa clara demonstração da sustentabilidade da auto-suficiência, conquistada em 2006.

 

A companhia trabalha intensamente para aumentar a produção e se tornar exportadora sustentável, não só de petróleo, mas também, e principalmente, de derivados, com a construção de duas Refinarias Premium voltadas para produção de combustíveis de elevada qualidade.  No primeiro semestre de 2008 a empresa manteve a sua condição de exportadora líquida de petróleo e derivados.

 

Competência tecnológica

 

Até o final da década de 60 a produção de petróleo e gás do Brasil era proveniente de campos terrestres. Como as pesquisas em terra não vinham oferecendo respostas positivas, a Petrobras direcionou suas atividades de exploração e produção para o mar, descobrindo petróleo em águas rasas da região nordeste do País, em 1969. 

 

Na década seguinte a empresa fazia as primeiras descobertas de petróleo e gás na Bacia de Campos, que é hoje  a maior região produtora do Brasil, onde estão em operação 50% das 109 plataformas instaladas no mar brasileiro, produzindo petróleo e gás natural de poços em águas que se estendem desde os 80 metros até quase dois mil metros de profundidade.

 

Cerca de meia centena de empresas internacionais do setor de exploração e produção já estão instaladas no País, a maior parte delas atuando em parcerias com a Petrobras, confiantes na capacidade da empresa. Em muitos dos blocos exploratórios, arrematados nas licitações da ANP, nos quais a companhia está associada a empresas multinacionais, ela foi escolhida como operadora em nome dos sócios, exatamente pelo reconhecimento de sua competência técnica em exploração e produção em águas profundas. Essa performance tem sido reconhecida por diversos organismos internacionais, onde se destaca a premiação, por duas vezes, pela Offshore Tecnology Conference, o mais importante evento do setor, realizado em Houston, EUA.

 

Presença mundial

 

Para os próximos cinco anos, além de manter a liderança no Brasil, a estratégia da Petrobras prevê a expansão internacional, tanto nos países onde já atua, como em novos mercados. Hoje a Companhia está presente em Angola (exploração e produção), Tanzânia (exploração), Nigéria (exploração), Líbia (exploração), Moçambique (exploração), Estados Unidos (exploração, produção e refino), México (exploração), Bolívia (exploração, produção e transporte), Colômbia (exploração e produção), Peru (exploração e produção), Equador (exploração e produção), Venezuela (exploração e produção), Chile (distribuição), Argentina (exploração, produção, refino, distribuição, energia elétrica e petroquímica), Paraguai (distribuição), Uruguai (distribuição), Japão (comercio internacional e refino), Irã (exploração) e Turquia (exploração).

 

Suas ações são negociadas nos Estados Unidos, na Europa e na América do Sul e, como resultado de um processo de democratização do capital, sua base acionária foi ampliada para cerca de 600 mil acionistas. A história destes 55 anos de Petrobras pode ser contada sob a ótica da eficiência competitiva, que a colocou no pódio da excelência, da competência e da consagração como uma das maiores e melhores empresas de petróleo do mundo. Para o futuro a empresa tem como visão estar entre as cinco maiores empresas de petróleo do mundo.



Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar