acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Bolívia

Petrobras Bolívia mantém negociações com governo boliviano

10/10/2006 | 00h00

O presidente da Petrobras Bolívia, Fernando de Freitas, informou nesta segunda-feira (09/10), que tem boas negociações com o governo da Bolívia, ainda que tenha evitado dar maiores detalhes do encontro com o ministro de Hidrocarbonetos, Carlos Villegas, e com o presidente da YPFB, Juan Carlos Ortiz.

A saída da reunião com representantes do Governo boliviano nas instalações da YPFB, Freitas disse que lhes falta "um longo caminho a percorrer" no que diz respeito às negociações com a Bolívia, país com quem assinou um contrato de compra e venda de gás natural até 2019.

Para esta segunda-feira estava programada a visita do ministro de Minas e Energia do Brasil, Silas Rondeau, no entanto, a reunião foi suspensa mediante comunicado conjunto emitido por ambos os governos. A reunião tinha em pauta abordar temas referentes à nacionalização dos hidrocarbonetos disposta no dia primeiro de maio de 2006.

Por sua parte, o ministro Carlos Villegas, disse que na reunião com a Petrobras a abordagem foi estrita a aspectos técnicos relacionados com os novos contratos de petróleo que entrarão em vigor a partir de 1º de novembro.

“Vamos continuar com o trabalho técnicos com a Petrobras, Total e Repson; temos três semanas ainda para conversar em todos os aspectos técnicos concernentes aos contratos que temos que assinar", afirmou a autoridade em declarações aos jornalistas.

Para o representante do Poder Executivo, as negociações se aceleram com as empreas transnacionais que possuem investimentos em sólo boliviano rumo à assinatura de novos contratos, tal como estabelece o Decreto Supremo 28701 de nacionalização de hidrocarbonetos.

"Necessitamos ter maior quantidade de reuniões técnicas porque já se estão discutivndo e analisando so pontos medulares dos contratos. Estamos trabalhando nisso", afirmou a autoridade.



Fonte: Agencia Boliviana de
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar