acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Bacia de Campos

Petrobras batiza plataforma P-57 em Angra

07/10/2010 | 05h25

A Petrobras batiza hoje (7), no estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis (RJ), o navio-plataforma P-57, que irá operar no campo de Jubarte, na porção capixaba da Bacia de Campos, a 80 km da costa do Espírito Santo. Essa unidade inaugura uma nova geração de plataformas, concebidas e montadas a partir do conceito de engenharia que privilegia a simplificação de projetos e a padronização de equipamentos. Um modelo que será referência para as futuras plataformas da Petrobras, como a P-58 e P-62, e para as unidades que irão operar no pré-sal da Bacia de Santos.
 


A P-57 é uma plataforma do tipo FPSO (sigla em inglês que significa unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo) e integra a segunda fase de desenvolvimento do campo de Jubarte. Ancorada a uma profundidade d´água de 1.260 metros, produzirá petróleo de 17 graus API (medida de densidade do petróleo). Ela terá capacidade para processar, diariamente, até 180 mil barris de petróleo e 2 milhões de metros cúbicos de gás. Começará a operar ainda este ano, interligada a 22 poços, sendo 15 produtores e 7 injetores de água. Será a primeira unidade dessa complexidade a operar na costa do Espírito Santo.


 
A nova unidade de produção entrará em operação ainda em 2010 e o pico de produção deverá ser atingido até o início de 2012. O petróleo produzido será transferido por navios aliviadores para terra. E o gás será escoado por gasoduto submarino para a Unidade de Tratamento de Gás Sul Capixaba, localizada na região de Ubu, no município de Anchieta, a cerca de 100 km de Vitória.


 
A cerimônia de batismo, em Angra dos Reis, contará com a presença do presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva, e outras autoridades do governo federal, além do presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, e dos diretores Guilherme Estrella, de Exploração e Produção; Paulo Roberto Costa, de Abastecimento; Renato Duque, de Serviços, e Graça Foster, diretora de Gás e Energia.


 
Inovações tecnológicas


 
O sistema de produção da P-57 está equipado com uma tecnologia inédita de coleta de dados sísmicos em 4 D, instalada permanentemente no leito marinho. Essa solução permitirá maior agilidade na obtenção de dados sísmicos, além de melhorar a qualidade de interpretação do reservatório, com a consequente otimização da produção. A unidade adotará, também, um método inovador para levar o petróleo do reservatório à plataforma, constituído por um sistema de bombeio centrífugo submerso submarino (BCSS) instalado em um compartimento especial no leito do mar, separado dos poços produtores. A vantagem será a redução de custos de intervenção para reparos do equipamento.


 
Desafios de engenharia
 


O contrato de engenharia, suprimento e construção da P-57 foi assinado em fevereiro de 2008 com a empresa Single Buoy Moorings Inc. (SBM). O casco da plataforma resultou da conversão do navio petroleiro Island Accord, no estaleiro Keppel Shipyard, em Cingapura, entre outubro de 2008 e março de 2010. Simultaneamente, foram construídos no Brasil os módulos de processamento de petróleo e gás no canteiro da UTC Engenharia, em Niterói (RJ), e no estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis (RJ). O casco chegou ao estaleiro Brasfels em abril deste ano, onde foram concluídos a instalação dos módulos, a interligação de todos os sistemas e os testes finais da unidade.


           
A construção da P-57 alcançou índice de conteúdo nacional contratual de aproximadamente 68%. A estratégia de priorizar a aquisição de bens e serviços no parque industrial brasileiro, como forma de contribuir para o desenvolvimento e ampliação da indústria nacional, resultou na geração de mais de 2 mil empregos diretos no país.


 
Simplificação e eficiência
 


O conhecimento adquirido com a construção da P-57 servirá de modelo para os projetos das plataformas P-58, P-62, P-63, além dos “FPSOs replicantes” destinados ao pré-sal da Bacia de Santos (SP). A nova unidade teve seu projeto simplificado e seus equipamentos padronizados, seguindo os mais altos padrões de segurança operacional. Essa estratégia garantiu maior eficiência no gerenciamento do projeto, assim como o bom andamento das fases de suprimento, construção, montagem e testes. O resultado foi o rigoroso cumprimento dos prazos contratuais, a manutenção do custo inicial planejado e a garantia da qualidade exigida em contrato. Além disso, a nova estratégia resultou em uma plataforma mais leve e de manutenção mais simples. Um ganho expressivo, portanto, do ponto de vista econômico, gerencial e técnico.


 
Características técnicas da P-57


Localização: campo de Jubarte, no Espírito Santo, a 80 km do litoral
Profundidade de operação: até 1.260 metros
Capacidade de produção de petróleo: 180 mil barris por dia, óleo 17o API
Capacidade de compressão de gás: 2 milhões de metros cúbicos por dia
Comprimento: 312 m (equivalente a três campos de futebol)
Largura (boca): 56 m
Altura máxima: 105 m (equivalente a um prédio de cerca de 30 andares)
Acomodações: 110 pessoas
Peso Total: 54 mil toneladas



Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar