acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
OTC 2013

Petrobras apresenta recordes dos campos de Cascade e Chinook

07/05/2013 | 11h58

 

Os recordes, o pioneirismo e os sistemas de segurança na exploração e produção de petróleo nos campos de Cascade e Chinook, na porção americana do Golfo do México, foram destaques na sessão técnica apresentada pela estatal na segunda-feira (6) durante a Offshore Technology Conference 2013 (OTC 2013), em Houston, nos Estados Unidos.
A primeira apresentação, "Desenvolvimento e Produção nos Campos de Cascade e Chinook, no Golfo do México: uma Visão Geral", feita por Cesar Palagi, gerente do projeto de Cascade e Chinook da Petrobras America, exibiu os recordes do projeto, que instalou o primeiro FPSO (navio-plataforma flutuante de produção, com capacidade de estocagem e escoamento) na porção norte-americana do Golfo do México. O FPSO BW Pioneer é a unidade de produção em maior profundidade de água do mundo (2.500 metros) e está interligada ao gasoduto mais profundo do mundo. Palagi destacou também o pioneirismo da utilização de navios aliviadores para transporte de petróleo nos EUA.
A segurança possibilitada pelo sistema de ancoragem do FPSO foi ressaltada na sessão. "No caso de um furacão, por exemplo, o navio-plataforma pode ser desconectado", disse Palagi. A embarcação conta com um sistema de ancoragem desconectável, que permite o seu deslocamento para áreas abrigadas durante a ocorrência de furacões e tempestades, trazendo segurança para a tripulação e o meio ambiente e preservando os equipamentos.
A palestra foi seguida pelas apresentações 'Cascade e Chinook - Desenvolvimento Subsea: Um Histórico Desafiador e Bem-Sucedido’; 'Perfurando e Completando Poços No Projeto de Cascade e Chinook – Histórico do Projeto e Execução’; ‘Primeiro Navio Flutuante de Produção, Armazenamento e Descarregamento no Golfo do México Americano’; ‘Navios Aliviadores na Tranferência de Óleo nos Campos de Cascade e Chinook’ e 'Campos de Cascade e Chinook: Visão Integrada dos Reservatórios’, realizadas, respectivamente pelos representantes da Petrobras America Sergio Porciúncula, Flávio de Moraes, Jeremiah Daniel, Dalmo Barros e Mauro Becker.
Sobre Cascade e Chinook
Com reservatórios de idades geológicas entre 23 a 65 milhões de anos, Cascade e Chinook estão localizados na promissora fronteira exploratória marítima do Golfo do México, a uma profundidade de cerca de 8 mil metros. A Petrobras detém 100% do campo de Cascade - cuja produção foi iniciada em fevereiro de 2012 -, e 66.67% do campo de Chinook - que teve produção iniciada em setembro de 2012 -, em parceria com a empresa Total, que detém os demais 33.33%.
A atuação na região consolidou a presença da Petrobras como um dos maiores players nas águas ultraprofundas na porção norte-americana do Golfo do México.

Os recordes, o pioneirismo e os sistemas de segurança na exploração e produção de petróleo nos campos de Cascade e Chinook, na porção americana do Golfo do México, foram destaques na sessão técnica apresentada pela estatal na segunda-feira (6) durante a Offshore Technology Conference 2013 (OTC 2013), em Houston, nos Estados Unidos.


A primeira apresentação, "Desenvolvimento e Produção nos Campos de Cascade e Chinook, no Golfo do México: uma Visão Geral", feita por Cesar Palagi, gerente do projeto de Cascade e Chinook da Petrobras America, exibiu os recordes do projeto, que instalou o primeiro FPSO (navio-plataforma flutuante de produção, com capacidade de estocagem e escoamento) na porção norte-americana do Golfo do México. O FPSO BW Pioneer é a unidade de produção em maior profundidade de água do mundo (2.500 metros) e está interligada ao gasoduto mais profundo do mundo. Palagi destacou também o pioneirismo da utilização de navios aliviadores para transporte de petróleo nos EUA.


A segurança possibilitada pelo sistema de ancoragem do FPSO foi ressaltada na sessão. "No caso de um furacão, por exemplo, o navio-plataforma pode ser desconectado", disse Palagi. A embarcação conta com um sistema de ancoragem desconectável, que permite o seu deslocamento para áreas abrigadas durante a ocorrência de furacões e tempestades, trazendo segurança para a tripulação e o meio ambiente e preservando os equipamentos.


A palestra foi seguida pelas apresentações 'Cascade e Chinook - Desenvolvimento Subsea: Um Histórico Desafiador e Bem-Sucedido’; 'Perfurando e Completando Poços No Projeto de Cascade e Chinook - istórico do Projeto e Execução’; ‘Primeiro Navio Flutuante de Produção, Armazenamento e Descarregamento no Golfo do México Americano’; ‘Navios Aliviadores na Tranferência de Óleo nos Campos de Cascade e Chinook’ e 'Campos de Cascade e Chinook: Visão Integrada dos Reservatórios’, realizadas, respectivamente pelos representantes da Petrobras America Sergio Porciúncula, Flávio de Moraes, Jeremiah Daniel, Dalmo Barros e Mauro Becker.

 


Sobre Cascade e Chinook


Com reservatórios de idades geológicas entre 23 a 65 milhões de anos, Cascade e Chinook estão localizados na promissora fronteira exploratória marítima do Golfo do México, a uma profundidade de cerca de 8 mil metros. A Petrobras detém 100% do campo de Cascade - cuja produção foi iniciada em fevereiro de 2012 -, e 66.67% do campo de Chinook - que teve produção iniciada em setembro de 2012 -, em parceria com a empresa Total, que detém os demais 33.33%.

 

A atuação na região consolidou a presença da Petrobras como um dos maiores players nas águas ultraprofundas na porção norte-americana do Golfo do México.



Fonte: Agência Petrobras
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar