acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Finanças

Petrobras antecipa quitação de dívida

19/07/2006 | 00h00

Com caixa de US$ 10 bilhões, a Petrobras está realizando operações de quitação antecipada de dívida no mercado de bônus e de empréstimos internacionais. Prepara-se também para lançar um novo título, no valor de US$ 1 bilhão, pelo prazo de dez anos, segundo informou ao Valor o diretor financeiro, Almir Barbassa. "Queremos com esse bônus definir um benchmark, um novo nível de juros para a Petrobras no mercado internacional", diz.

Ontem, a empresa anunciou operação para recomprar antecipadamente até US$ 2,95 bilhão em títulos no mercado externo. "Os juros dos nossos papéis caíram muito no mercado secundário e não faz sentido mantermos papéis com taxas tão elevadas", diz Barbassa. A empresa se propõe a comprar os papéis com cupom (juro nominal) de 12,375% ao ano, de vencimento em 1 de abril de 2008; de cupom de 9,875% ao ano, de vencimento em 9 de maio de 2008; de cupom de 9,75% ao ano, de vencimento em 6 de julho de 2011; de cupom de 9,125% ao ano, de vencimento em 2 de julho de 2013; e de cupom de 8,375% ao ano, de vencimento em 10 de dezembro de 2018. Os investidores terão até dia 24 de julho para dizer se aceitam o pré-pagamento. Nessa data, os preços da compra antecipada serão definidos. Os líderes da operação são o Morgan Stanley e o UBS.

Segundo Barbassa, os investidores deverão aceitar a recompra de até US$ 1 bilhão e se o total da demanda ultrapassar esse valor a empresa pode se limitar a recomprar US$ 1 bilhão ou mais, dependendo dos preços pedidos pelos investidores.

A Petrobras está também no mercado com operação que reduz custo de empréstimos vinculado à plataforma P-53. No ano passado, a empresa pagou 1,25% por empréstimo de US$ 500 milhões pelo prazo de sete ano. Neste ano, quer reduzir o custo para 0,375% ao ano e manter o prazo para US$ 750 milhões. Mas pretende incluir opção de resgate antecipado do empréstimo por parte dos credores e da própria empresa no terceiro ano de vida. O líder é o ABN- AMRO.

Segundo o "IFR Markets", o Banco Mercantil do Brasil quer levantar de US$ 50 milhões a US$ 100 milhões pelo prazo de três a cinco anos e está cotando os bancos. Já o Banco Cruzeiro do Sul prepara o lançamento de bônus de vencimento em dois anos, com rendimento de 8,75% ao ano. O valor da operação ficaria entre US$ 10 milhões e US$ 50 milhões. O líder é a BCP Securities.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar