acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Indústria naval

Pesquisadores do Rio e de São Paulo falam sobre indústria naval no RS

03/06/2005 | 00h00

Furg mostrou potencial humano e tecnológico durante reuniões em Pelotas e Rio Grande.

O Centro de Integração do Mercosul, em Pelotas, sediou ontem uma reunião cujo objetivo foi ouvir os maiores centros tecnológicos do País que trabalham com a indústria naval, trocando idéias e unindo esforços em capacitação de instituições e recursos humanos para fazer frente às necessidades da região diante da instalação destas indústrias na Metade Sul.
A Fundação Universidade Federal de Rio Grande (Furg), fez a apresentação inicial da reunião em Pelotas, mostrando o potencial institucional de recursos humanos, científicos e tecnológicos e a experiência acumulada nas pesquisas oceânica e costeira, dos sete cursos de Engenharia existentes, e de outras áreas das ciências relacionadas de alguma forma à indústria naval.
Após a exposição da Furg, feita pelo reitor João Carlos Cousin, que esteve acompanhado por oito pesquisadores e pelo diretor do Colégio Técnico Industrial, Osvaldo Casares Pinto, falaram os oito representantes de governo, empresas e instituições do Rio de Janeiro e São Paulo: Ministério da Ciência e Tecnologia - MCT; Petrobras/Transpetro; Coppe - Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ; Escola Politécnica - UFRJ, Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT, Universidade de São Paulo - USP, e Prominp - Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural.
Segen Stefen e Floriano Pires (UFRJ), e Carlos Padavezzi (IPT) expuseram os trabalhos que estes dois centros de excelência brasileiros desenvolvem com as indústrias dos pólos navais, como os estaleiros nacionais e estrangeiros, e as pesquisas para o setor. Também sugeriram troca de experiências com as universidades e centros tecnológicos regionais que tiverem trabalhos na área.
Nilton Gonçalves (Petrobras), César Del Vecchio (Centro de Pesquisas Transpetro), Madhu Haridasan (MCT) e Alexandre Borges (Prominp) esclareceram sobre os programas que prevêem o desenvolvimento de recursos humanos e desenvolvimento tecnológico nesta área, visando a recuperação da indústria naval brasileira. Segundo os convidados das universidades, a região não deve ficar presa só à instalação de estaleiros, mas participar do processo todo de ampliação desta indústria. Através de acordo entre MCT e Petrobras, em dois anos devem ser aplicados R$ 30 milhões em formação de recursos humanos e tecnológicos.
O reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), César Borges, expôs dúvida com relação às instituições sem experiências nas áreas correlatas à indústria naval e solicitou apoio dos organismos de fomento à pesquisa, para que estes centros possam desenvolver cursos na área de gestão.

Rio Grande - Depois da reunião em Pelotas, os visitantes e pesquisadores da região estiveram na área do Porto Novo onde deve ser construída a P-53, a plataforma da Petrobras, e a área onde será instalado o estaleiro Aker Promar. Finalizando a visita à região, continuaram a reunião de trabalho na Furg, Campus Carreiros, onde ficou acertada a troca de informações entre as instituições para desenvolver recursos humanos e tecnológicos para o pólo naval a ser instalado em Rio Grande.



Fonte: Jornal Agora
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar