acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Inovação

Pequenos empresários fluminenses já podem inscrever seus projetos em incubadora do IPRJ

13/10/2010 | 10h00
Os projetos inovadores de micro e pequenas empresas das regiões serrana e centro-norte fluminense podem se inscrever até o próximo dia 15 no Origem Incubadora de Empresas Inovadoras do Instituto Politécnico da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IPRJ-Uerj), sediada no município de Nova Friburgo.


A gerente da incubadora, Lanice Fagundes, disse à Agência Brasil que o edital está aberto a projetos de pessoas físicas e empresas de qualquer área econômica. Entretanto, há exigências que devem ser atendidas. “A primeira é que o projeto ou a empresa esteja tratando de inovação. Ou seja, que tenha um projeto de melhoramento de produto ou mesmo um novo produto ou um novo serviço. Nós acolhemos projetos que busquem o aprofundamento técnico em inovação”, afirmou.


Os 26 projetos selecionados receberão apoio gerencial e capacitação, além de interação com universidades e centros de pesquisa conveniados, visando o melhoramento técnico de sua proposta de inovação. Os candidatos à incubadora deverão apresentar também um plano de negócio que será submetido ao comitê de avaliação, para definição da categoria em que poderá ingressar na incubadora. “A gente tem o programa de pré-incubação, para aqueles projetos que ainda não têm Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e em que a pessoa física pode se candidatar para aprimorar e verificar a viabilidade da ideia de negócio e inovação que ela está propondo”.


A modalidade seguinte é a incubação, para projetos que já têm perspectiva de acessar mercado no curto prazo e que estejam em um nível técnico mais avançado. Por último, existe a categoria de associados, para empresas que tenham projetos de melhoria de produtos e processos e que já estejam empreendendo no campo da inovação.


O prazo máximo de incubação é de cinco anos. Lanice Fagundes informou que o prazo vai depender do desenvolvimento que o projeto conseguir. A incubadora do Instituto Politécnico da Uerj prepara as micro e pequenas empresas para o mercado econômico. “Elas podem contar com apoio gerencial e técnico. E aquelas que tiverem essa necessidade podem utilizar o espaço físico da incubadora para que os projetos se estabeleçam”.


Nos dezesseis anos de funcionamento, 25 projetos ficaram abrigados na Origem Incubadora e apresentaram níveis de maturidade. Alguns obtiveram sucesso no mercado. Nesse caso, Lanice Fagundes destacou, entre os incubados mais recentes, a empresa Wais, especializada no desenvolvimento de soluções de tecnologia da informação (TI) e sistemas de gerenciamento operacional, administrativo e de produção; e a Meristem, de micro-propagação vegetal. Essa empresa faz clones de plantas para melhoramento genético de mudas.


As empresas e os projetos não recebem apoio financeiro diretamente da incubadora. Ela disse que a proposta é que a capacitação gerencial que elas recebem gere frutos, inclusive, para investidores externos interessados nos projetos ou para a captação de recursos em agencias de fomento.


As 26 vagas na incubadora de inovação da Uerj começarão a ser preenchidas a partir de janeiro de 2011 pelos projetos escolhidos.

 

Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar